Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS A WEA

A WEA

O "Rei Momo" americano

Quem diria, o Rei Momo acabou vindo dos Estados Unidos. Pois é? Compositor, músico, cineasta, performer, David "Talking Heads" Byrne, acabou dando no Carnaval. A WEA aproveitou a temporada pré-carnavalesca para aqui lançar "Rei Momo", terceira montagem que o cineasta de "Histórias Verdadeiras" fez com música brasileira em tempero pop.

Mingus, Evans, Herbie e Coleman em bons momentos

Ao lado da CBS, a WEA é a gravadora que tem investido mais maciçamente no jazz (e trazendo também blues e country), embora não se possa esquecer os bravos esforços de Jonas Silva, da Imagem - há 21 anos no mercado, a Bradisco (embora sem qualquer divulgação e critérios em suas produções e, finalmente, a BMG/Ariola, que dispondo ao acervo da RCA, começa a aproveitar melhor o tesouro sonoro que dispõe em seu arquivo.

O grande blues do velho Hooker

"Quando me tornei vagabundo, escolhi como amigo um trem de carga" (John Lee Hoker).

Se não dá para ver ao vivo, console-se com as gravações

A cada ano, o conselho consultivo do Free Jazz, do qual fazem parte experts na área como Zuza Homem de Mello (em Cascavel neste fim de semana, integrando o júri do XVII Fercapo), programam criadores da mais alta voltagem, não só entre os já consagrados, como aqueles que estão aparecendo nos últimos anos com propostas novas. Isto explica a presença de um inovador como o saxofonista John Zorn, cujo primeiro elepê aqui lançado há poucos meses (pela WEA), surpreendeu mesmo aos ouvidos mais abertos.

All That's Jazz

A WEA anualmente faz algumas edições primorosas na área jazzística. Este ano decidiu premiar os fãs de Duke Ellington com cinco álbuns da chamada "The Private Collection". Os dois primeiros volumes - "Studio Sessions / Chicago 1956" e "Dance Concerts / California 1958", saíram em julho último, antes do Free Jazz. Agora, estão chegando às lojas mais três volumes - que merecerão registros especiais futuramente: "Three Studios Sessions", "Four Studios Sessions" e "The Suites", gravados em Nova Iorque em 1962/63/1958/70, respectivamente. xxx

A hora do Blues

César Castanho, ex-executivo do Free Jazz Festival, parte para nova realização: o Festival de Blues de Ribeirão Preto (14 a 18 de julho), que reunirá naquela cidade paulista nomes como Buddy Guy, Magic Slim, Júnior Wells, Etta Janes e Albert Collins, todos de Chicago, e os brasileiros André Christovan e banda Blues Etílicos.

Um belo filme inglês e visões da África do Sul

Rio de Janeiro - Nos grandes festivais internacionais de cinema - Cannes, Veneza, Berlim e Moscou, na categoria A, como o FestRio, as mostras paralelas, com filmes não competitivos, trazem sempre obras tão - ou mais - atraentes do que os que estão em competição. Dentro desta abertura, Ney Sroulevich, desde a primeira edição do FestRio, há 5 anos, preocupou-se em que as mostras paralelas fossem as mais abrangentes.

Geléia Geral

Carlos Pita era uma das boas promessas do grupo baiano, ligado ao grande Elomar Figueira de Mello. Chegou a fazer trabalhos experimentais, mas, pelo visto, também cansou de ver o talento mal remunerado e assim em "Tapete Mágico" (Polygram) aderiu ao estilo do samba afro-jamaicano que tomou conta do Carnaval baiano. Continua a ser um bom compositor, ter embalo, mas está longe daquele inquieto e brasileiríssimo autor que, ao lado de Roze (por onde andarás?), Doroty & Dercio Marques e Xangai, mereciam a designação de "filhos de Elomar"! xxx

Em tempo de Blues

O boom jazzístico - com constantes edições tanto do que há de novo como tesouros do passado, através das excelentes coleções da CBS - o sucesso do Free Jazz Festival e, em termos locais, a aceitação que o Blue Note Jazz Clube obteve, provam que há um amplo mercado para a música instrumental. André Midani, um homem que sempre soube ver longe, sentiu isto e abriu as portas da WEA para o blues ter seu espaço no Brasil.

Os LPs que Armando não pode divulgar

Armando Heynz, falecido há 8 anos não pode acompanhar a divulgação do último suplemento internacional da WEA. Profissional esmerado, sempre atencioso, era um dos poucos divulgadores que entregava os lançamentos diretamente às rádios e profissionais da promoção musical, acompanhando - e catituando - a sua veiculação profissional da área, cuidar da divulgação do mais recente pacote de lançamentos da WEA - que com a morte do bom Armando perde um de seus melhores profissionais na área da promoção no Brasil.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br