Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Teatro do Paiol

Teatro do Paiol

Do Bicho do Paraná e outras programações

Com apenas uma música - e mais especificamente uma estrofe ("Eu não sou gato de Ipanema/Sou bicho do Paraná"), o paranaense João Lopes estabeleceu uma imagem das mais positivas. A expressão "bicho do Paraná", ganha cada vez mais força nativista e desde a política - como faz o candidato Luiz Henrique Garcez de Mello - até a publicidade - o bicho do Paraná - passa a ser assumido, com orgulho - repetindo-se, de certa forma, aquilo que aconteceu no Rio Grande do Sul a partir do sucesso da Califórnia da Canção: a juventude pilchando-se e orgulhando-se de suas raízes e tradições. xxx

José Maurício, o cantor que ama (e ajuda) a MPB

Entre as pessoas que mais tem auxiliado a música brasileira nestes últimos anos destaca-se um jovem executivo, que vem canalizando todo seu tempo livre - e muitos recursos - para que nossos talentos encontrem um prestigiamento cada vez mais difícil. Chama-se José Maurício Machline, é vice-presidente de comunicação do grupo Sharp, ama a música desde a infância e, tem mostrado como uma empresa pode manter um grande evento cultural.

A morte de Gonzaguinha e a ressurreição de Renato

Renato Manoel Costa, gostaria de legalmente poder alterar seu registro civil para indicar duas datas de nascimento: a primeira, há 33 anos, 12 de agosto de 1957, em Bragança Paulista, SP; a segunda, em Francisco Beltrão, em 29 de abril de 1991. Na última quarta-feira, 29, em Curitiba, Renato Manoel comemorou com alguns amigos, que aqui fez, os "meus primeiros nove meses desta nova vida que Deus me concedeu".

A solidariedade que ressuscitou Renato

Dedicando-se exclusivamente a administrar a carreira e os negócios de Luiz Gonzaga Júnior, através de sua editora Moleque, Renato Manoel Costa já vinha estruturando, em termos legais, a Fundação Asa Branca, no patrimônio que Luiz Gonzaga havia destinado, na cidade de Exu, 700 km do Recife, para sediar um generoso projeto cultural.

Noite Vazia (IV) - Quando o endereço ajuda matar os bares musicais

Ao decidir fechar o Crystal, em 7 de novembro de 1991, Eduardo de Almeida, 33 anos, o fez não apenas pelo movimento cada vez menor que vinha inviabilizando seu projeto de manter uma casa com boa música instrumental ao vivo. É que se cansou de responder a processos junto a Prefeitura e delegacias movidos por vizinhos dos 48 apartamentos do edifício Flamingo (Rua Amintas de Barros, 36), em cuja loja o estabelecimento funcionava.

As Cantoras de Rádio, esbanjando juventude, talento e brasilidade

Gravadora com um marketing definido de vendas - preferindo colocar seus produtos em supermercados e lojas de departamentos, a preços mais acessíveis - a Companhia Industrial de Discos tem um catálogo diversificado e popular. Há mais de 30 anos que a família Zuckerman fez da CID uma fábrica que além de ter sua própria produção também prensa em suas instalações discos para várias etiquetas.

Município gasta Cr$ 5 milhões para discutir o que é a ética

Apesar da repercussão que o oportuno e corajoso pronunciamento do professor Alvino Moser, mestre-adjunto do Departamento de Filosofia da Universidade Federal do Paraná provocou nos meios universitários, após a divulgação de seu texto no "Almanaque" ("O Estado do Paraná", 26/03/91), o curso "Ética", que sob os auspícios da Secretaria Municipal de Cultura, inicia no próximo dia 8, deve merecer ainda outros questionamentos.

A hora de repensar o futuro dos festivais

Reunindo em seu júri com 13 profissionais representando setores da produção e animação artística, jornalismo cultural, indústria e edição musical e artistas - instrumentistas, compositores e intérpretes, a IX Feira Avarense de Música Popular (27 a 29 de julho) proporcionou algo raro em termos de eventos competitivos: um produtivo debate sobre a importância dos festivais de música e da necessidade de se viabilizar o quanto antes, um projeto da animadora cultural Ercília Lobo: um encontro nacional de quem se dedica a promover festivais no Brasil.

No Carrefour, faltou torcida para "Bastidores" dos Gersons

Na semana passada, o engenheiro e animador cultural Sérgio Bittencourt, dono do bar Habbeas Coppus, gastou Cr$ 150 mil em dois anúncios, conclamando amigos e admiradores dos compositores Sérgio Bertinez, 43 anos, e Gerson Fisbein, 34, a se integrarem numa caravana que, em São Paulo, formaria uma torcida organizada pela participação do Paraná no maior festival de música popular realizada nos últimos anos do Brasil - o MPB Carrefour.

Tadeu, o piano e a voz num espetáculo moderno

A natural atração que a superstar Marília Pêra provoca com seu elogiado show "Elas por Ela" (Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto, ainda hoje, 21h), fez com que poucos espectadores se ligassem no espetáculo "Mania de Amar", apresentado ontem e que deve ser visto ainda hoje no Teatro Paiol.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br