Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Teatro do Paiol

Teatro do Paiol

Cinema

Um clássico do Neo-Realismo, "Ladrões de Bicicletas" (Teatro do Paiol, hoje às 17 horas e amanhã às 22 horas), permanece como um dos momentos mais altos da filmográfia de Vittorio de Sica. A história de "Ladri di biciclete" e simples. Ma da mais humana: em Roma um operário desempregado (Lamberto Maggiorani-foto) consegue um emprego para o qual exige-se possuir uma bicicleta. Começa a trabalhar como colador de cartazes e quando está pregando num muro o cartaz do filme "Gilda" 1946, de Charles Vidor,, com Gleann Ford-Rita Hayworth) roubam sua bicicleta.

Gente

Um moço de 22 anos, segundanista da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná, não está podendo aproveitar as férias: Ricardo McDonald, como presidente do Conselho de Diretórios Acadêmicos da UFP, único órgão de cúpula e coordenação existente desde que o DCE e a UPM foram extintos, está preocupado em organizar a recepção aos novos calouros de nossa Universidade Federal. Curitibano, sem atuação política anterior, Mc Donald foi eleito para a presidência do Conselho dos Diretórios no ano passado e vem desenvolvendo um trabalho sério, independente de qualquer preocupação política.

Eles & Elas

Oksana Boruszenko, professor do Departamento de História da Universidade Federal do Paraná, retornou da Alemanhã com um título que muitas poucas pessoas possuem na América do Sul: Doutora em História Eslava, com curso de pré-graduação na Universidade Maximiliam, em Munique, uma das mais antigas da Europa.

Palco/Som/Imagem

O Pianista, Marlon Nobre terminou de gravar, na tarde de sexta-feira, nos estúdios da Phonogram, GB, o << Concerto Breve >> e << Concertino >> - ambas peças de sua autoria, acompanhado pela Sinfônica Nacional, orquestra da qual é regente. Aliás, Marlos Nobre - que no ano passado esteve em Curitiba, participando de um debate sobre música clássica e que ainda este semestre virá apresentar um concerto no Teatro do Paiol - continua sua ascensão, progressiva e segura, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, como compositor.

Comunicação

Ontem, na Guanabara, o Museu da Imagem e do Som fez uma das mais justas homenagens desde que foi criado, ao entregar o prêmio Estácio de Sá ao publicitário Marcos Pereira, de São Paulo. Dono de uma das melhores agências brasileiras, Marcos Pereira há cinco anos vem produzindo álbuns do melhor nível artístico, para distribuir aos clientes da agência.

Cinema

Depois do ciclo dos filmes de Vittorio De Sica - o Festival do Cinema Italiano (Teatro do Paiol, 20 horas), apresenta agora três das mais obras expressivas de Roberto Rosseline, que divide com Luchino Visconti (de quem o público viu na semana, o mais maldito de seus filmes - >> Lá Terra Trama >> , 1948) a glória de ter sido o pioneiro do chamado cinema Neo-Realista. Filho de um conhecido arquiteto romano (cidade em que nasceu, em 1906), Rosselini abandonou seus estudos para dedicar-se ao cinema. Seus primeiros documentários revelaram já um interpretação poética e pessoal da realidade.

Gente

Duas razões motivaram a vinda ao Paraná, nesta semana, de dona NATALIA COSTA, uma senhora simpática e ainda jovial: conhecer as ruas Jaime Costa em Curitiba (na Vila Parolim) e na Praia de Leste e rever o ator Edson D'Avila, que em 1948, teve sua estréia numa peça montada pelo inesquecível ator Jaime Costa.

Gente

Mário de Aratanha , um carioca de 28 anos, há oito no jornalismo, aproveitou o fim-de-ano para vir ao Paraná, conhecer Vila Velha e Paranaguá e, em Curitiba, acertar os detalhes de uma exposição de fotografias na galeria do Teatro do Paiol. Pois Aratanha não só escreve, mas também fotografa. Suas fotos já foram publicadas no << Jornal do Brasil >> , no << Cruzeiro >> , em << Querida >> e no Exterior, além do << Detroit Lakes Tribune >> e do << Becker Country Record >> , nas revistas << Stern >> de amburgo e em << Primeira Plana >> de Buenos Aires.

Cinema

Fiel ao seu conceito do Nebrealismo como um a posição moral ante a realidade, Roberto Rosselini passou progresivamente do coletivo ao individual, a um descobrimento do personagem humano baseado em um conhecimento mais direto e profundo do ator, atitude que reforçaria sua tendência natural a improvisação, meio de preservar a autenticidade de seus interpretes. Seu constante desejo de penetrar a fundo em seus personagens - de "Alemanha, Ano Zero", a "Viagem na Itália" - estimulou outra tendência de Rosselini, o desprezo da lógica dramática tradicional.

Gente

Se a televisão passou a disputar com o cinema um mesmo público, o crítico Ronald F. Monteiro, cinemaniaco desde os 7 anos e hoje um dos profissionais mais respeitados na Guanabara, não viu no vídeo um << inimigo >> , mas sim um aliado: assim, passou a assinar há duas semanas, no Caderno B do << Jornal do Brasil >> , uma coluna onde indica ao telespectador quais os melhores filmes que a televisão apresenta.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br