Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Teatro do Paiol

Teatro do Paiol

Cinema

O Festival do Cinema Italiano (Teatro do Paiol) iniciou com a mostra de alguns exemplos dos chamados "telefones brancos".

Gente

"Estou dirigindo uma peça onde os atores iniciantes e não há texto, apenas marcações. Quer dizer um trabalho que significa nuitas novidades e um aprendizado muito importante". Quem diz isso é a atriz IONE Prado, 25 anos de idade, 6 de teatro, e participação nas mais importantes montagens feitas em Curitiba. A peça que ela está dirigindo é "Cuatro Balazos", de Alberto Centurião que faz parte da mostra "Três Peças Experimentais", produção do Teatro Margem que será apresentada de 6 a 11 de fevereiro no Teatro do Paiol.

La Terra Trema

"DEUSES MALDITOS" E "A MORTE EM VENEZA" DERAM FAMA A LUCHINO VISCONTI. HÁ 25 ANOS ATRÁS ELE REALIZAVA UMA OBRA-PRIMA: "LA TREMA", QUE SERÁ EXIBIDA HOJE NO TEATRO PAIOL, ÀS 20 HORAS. NO SÁBADO, NO MESMO HORÁRIO, O FILME SERÁ EXIBIDO OUTRA VEZ, DESTA VEZ COM UMA CONFERÊNCIA DO CRÍTICO RONALD MONTEIRO, DO JB. "LA TERRA TREMA" NUNCA FOI EXIBIDO COMERCIALMENTE EM NOSSO PAÍS,

Cinema

a exibição de "La Terra Trema" (hoje, 20 horas, Teatro do Paiol) constitui sem dúvida uma oportunidade única: nunca lançado no Brasil (e mesmo na Itália e França restrito ao âmbito das cinematecas) esta obra-básica do neo-realismo, realizada entre 1947-48, se constitui num filme do qual muito se fala mas pouco se conhece. A sua exibição hoje e no sábado - quando será complementada com palestra do crítico Ronald Monteiro, tornou-se possível graças a colaboração da Cinemateca do Museu de Arte Moderna, da Guanabara, que possui a única cópia existente no Brasil.

Cinema

Falando sobre "La Terra Trema" (Teatro do Paiol, amanha as 20 horas, acompanhada de conferências do crítico Ronald Monteiro, da Cinemateca do MAM-(GB), seu realizador, Luchino Visconti, disse: "Sempre considerei os problemas da Itália meridional, como uma das principais fontes de inspiração de minha obra...

Gente

A projeção de quatro filmes de Vittorio de Sica realizados entre 1946-55 - "Humberto D" (1951), "Ladrões de Bicicletas" (1948), "Milagre em Milão"(1950-51) e "O Teto" (1955) no Festival do Cinema Italiano (Teatro do Paiol) o fato da última fita deste italiano de 71 anos, "O Jardim dos Finzo-Contini" (rodado em 1970) ter sido incluída pela crítica brasileira como um dos 10 melhores filmes lançados em 1972, comprova a extraordinária vitalidade de sua obra Italiana de Sora.

Cinema

Um clássico do Neo-Realismo, "Ladrões de Bicicletas" (Teatro do Paiol, hoje às 17 horas e amanhã às 22 horas), permanece como um dos momentos mais altos da filmográfia de Vittorio de Sica. A história de "Ladri di biciclete" e simples. Ma da mais humana: em Roma um operário desempregado (Lamberto Maggiorani-foto) consegue um emprego para o qual exige-se possuir uma bicicleta. Começa a trabalhar como colador de cartazes e quando está pregando num muro o cartaz do filme "Gilda" 1946, de Charles Vidor,, com Gleann Ford-Rita Hayworth) roubam sua bicicleta.

Gente

Um moço de 22 anos, segundanista da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná, não está podendo aproveitar as férias: Ricardo McDonald, como presidente do Conselho de Diretórios Acadêmicos da UFP, único órgão de cúpula e coordenação existente desde que o DCE e a UPM foram extintos, está preocupado em organizar a recepção aos novos calouros de nossa Universidade Federal. Curitibano, sem atuação política anterior, Mc Donald foi eleito para a presidência do Conselho dos Diretórios no ano passado e vem desenvolvendo um trabalho sério, independente de qualquer preocupação política.

Eles & Elas

Oksana Boruszenko, professor do Departamento de História da Universidade Federal do Paraná, retornou da Alemanhã com um título que muitas poucas pessoas possuem na América do Sul: Doutora em História Eslava, com curso de pré-graduação na Universidade Maximiliam, em Munique, uma das mais antigas da Europa.

Palco/Som/Imagem

O Pianista, Marlon Nobre terminou de gravar, na tarde de sexta-feira, nos estúdios da Phonogram, GB, o << Concerto Breve >> e << Concertino >> - ambas peças de sua autoria, acompanhado pela Sinfônica Nacional, orquestra da qual é regente. Aliás, Marlos Nobre - que no ano passado esteve em Curitiba, participando de um debate sobre música clássica e que ainda este semestre virá apresentar um concerto no Teatro do Paiol - continua sua ascensão, progressiva e segura, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, como compositor.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br