Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Valêncio Xavier

Valêncio Xavier

Homenagem à estrela Dalva e a descoberta de Marilu

Será, no mínimo, uma reunião de pessoas que amam a nossa melhor musica popular. Amanhã, ao entardecer, na sala Antonio Mililo da Secretaria da Cultura, o lançamento oficial de "Estrela.. Saudade", álbum duplo com Dalva de Oliveira (Vicentina de Paula Oliveira, Rio Claro, SP-5/5/1917-RJ, 31/8/1972) interpretando 30 belíssimas marcha-rancho, marcará a 50ª produção do selo Revivendo, que há dois anos vem proporcionando o reaparecimento de jóias de nosso cancioneiro.

Os "cult-movies" que os americanos curtem

Vai demorar, mas ainda chegaremos lá: a edição em vídeo de filmes que mesmo nos Estados Unidos ficaram na categoria de cult - isto é, fracassos em seus lançamentos comerciais, revalorizados depois. Ou então obras-propostas que mesmo no lançamento já chegaram com o estigma do fracasso financeiro.

Com a falta de dinheiro, os nossos curtas estão parados

No ano passado o Paraná esteve totalmente ausente no circuito dos festivais de cinema. Se em 1988, Fernando Severo conseguiu com seu curta, 16 mm, algumas premiações em Gramado, Brasília e Salvador - principalmente porque "O Mundo Perdido de Kozák" focava, com bom gosto e cuidados de realização, um tema muito simpático (o resgate de um pioneiro da cinematografia, com preocupações ecológicas já nos anos 40/50), no ano passado nenhum realizador paranaense conseguiu ingressar sequer na parte seletiva dos festivais.

Um Chico Mendes julgado na competição dos curtas-metragens

Fortaleza - Como eficiente assessor da Embrafilme, o jornalista Sebastião França, faz questão de contar a boa notícia: por determinação do ministro José Aparecido de Oliveira, da Cultura - após ouvir o apelo do secretário René Dotti (de quem França foi assessor especial por seis meses) a Fundação do Cinema Brasileiro vai agilizar a sua participação para que os quatro curtas-metragens, co-produzidos pelo governo do Paraná, sejam, enfim, finalizados. Não é sem tempo.

No campo de batalha

Luiz Groff foi ultraprestigiado no lançamento de "O Espírito do Vinho", que autografou durante quase três horas, no showroom da Olsen S/A, empresa da qual é diretor de marketing. Do vice-governador Ary Queiroz, primeira Dama Débora Dias, prefeito Jaime (e Fany) Lerner, secretário René Dotti e muitos outros nomes do poder, até amigos mais anônimos, foram levar seu abraço e adquirir (por NCrz$100,00) o livro de Groff, reunindo crônicas bem humoradas em torno de uma de suas paixões: a arte de beber bons vinhos.

Os urros de Leon sobre a garimpagem do bom som

Quando idealizou reeditar muitas das preciosidades em 78 rpm que acumulou ao longo de mais de 40 de seus 59 anos de vida, o pernambucano Leon Barg já imaginava que sua iniciativa viria, para usar uma frase clichê, preencher um espaço em nossa memória cultural.

No campo de batalha

Já são tantos, que puderam até formar uma entidade de classe: com sede na Rua XV de Novembro, 275, 8º andar, salas 802/805, foi criado o sindicato dos Astrólogos Paranaenses. Entre os seus objetivos: reconhecer, cultivar e divulgar a Astrologia, definir perante as autoridades e o público a competência do astrólogo, também chamado "cosmo-analista". xxx

João Batista prepara "Vlado" e lança seu primeiro romance

Há três anos, no XX Festival do Cinema Brasileiro de Brasília, quando João Batista de Andrade participava com "O País dos Tenentes" - que entre outras premiações valeu o Candango de melhor ator a Paulo Autran - se falou muito não apenas naquele filme de visão histórica do tenentismo, mas, especialmente, do projeto que já fascinava ao cineasta mineiro-paulista: "Vlado".

No campo de batalha

Não poderia ter sido mais proveitosa a passagem de Ziraldo por Curitiba no último fim-de-semana: além do prazer de assistir a estréia de "Flics" pelo Ballet Guaíra, fez duas concorridas palestras dentro do projeto Encontro Marcado, coordenado por Araken Távora, e no Solar dos Leões participou de uma "Tarde de Criação" com as crianças. xxx

Projetos piramidais

Entusiasmado com a montagem de "Tosca", no vesperal de encerramento da temporada, domingo, o prefeito Jaime Lerner tentava convencer a Constantino Viaro, superintendente da Fundação Teatro Guaíra, de fazer uma récita da obra de Puccini na Pedreira - que substituiu nesta terceira administração de Lerner a paixão que ele tinha, anteriormente, pelo Teatro do Paiol, como espaço cultural.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br