Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Sonia Braga

Sonia Braga

De Bianchi a Carol, o nosso cinema dá certo

Sérgio Bianchi, paranaense de Ponta Grossa, 33 anos, levou mais de dez anos para conseguir realizar o seu primeiro longa-metragem. Depois de estudar na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo e ali fazer dois curtas-metragens, inspirado em contos de Júlio Cortazar, Bianchi aglutinou alguns amigos atores/atrizes, conseguiu um velho casarão e, numa espécie de comunidade hippie, fez uma reflexão liberta sobre a fase do “paz e amor, bicho!”.

E quando é que chegarão os filmes dos festivais?

Encerrado mais um festival de cinema brasileiro- e próximo a dois outros eventos importantes que continuarão a movimentar o setor (Gramado, a partir de 5 de agosto e, de 20 a 26 de setembro, a XVIII Jornada Internacional de Cinema da Bahia, em Salvador), uma questão natural que se discute é a de quando os curtas, médias e, ao menos, longas que são levados a estas mostras competitivas poderão serem também vistos e julgados pelo público?

Moscou e Califórnia nas telas

Um projeto que poderia ter sido iniciado há meses - o convênio que inclui Curitiba no circuito de filmes de artes da distribuidora BelasArtes, só agora viabilizou-se: o melhor da produção européia (com eventuais representantes do terceiro mundo) estarão exclusivamente no cine Luz, cuja programação deixa de ser responsabilidade da Fucucu e passa a ser orientada diretamente pelo cineasta (nome importantíssimo da nouvelle vague, realizador de ao menos um clássico: "A garota dos olhos dourados") Jean Gabriel Albicoco.

"Havana" e comédias entre as opções

Além da retrospectiva Peter Lilienthal e "Cidadão Kane", a semana tem três novas atrações: "Havana", de Sidney Pollack (Condor); de Alan Alda (Itália) e Os Deuses Devem Estar Loucos II" de Jamie Uys (São João).

A arte múltipla do eletrizante Utrabo

Em 1964, quando o produtor Nelson Teixeira Mendes veio rodar no Paraná o filme "O Diabo de Vila Velha", seu assistente de produção, Laertes Moreira (já falecido) corria a cidade para encontrar objetos de época. Havia raros antiquários e o único com uma bem montada estrutura era Rubens Utrabo, numa das lojas do então elegante edifício Sumatra na rua Senador Alencar Guimarães.

"Première" já tem vencedores e indica até Oscar a animais

Com antecedência de três semanas, a mais nova e sofisticada revista de cinema dos Estados Unidos - a Premiere, que com data de capa de abril circulou no último dia 13 - antecipou os vitoriosos do Oscar-89. Edição americana da consagrada publicação francesa, a Premiere promoveu um concurso entre seus leitores (que estão crescendo graças a uma campanha de assinaturas ao preço de apenas US$ 11 quando seu preço de capa é de US$ 2,25) para saber as preferências.

"Baleias de Agosto", o adeus de Bette Davis

Dispondo de grandes acervos, com títulos dos mais importantes - mas que nem sempre são comercialmente convenientes - as chamadas majors (as grandes produtoras do cinema americano) ao ingressarem em novos territórios na área do vídeo, como é o caso do Brasil, mostram-se cautelosas na escolha de seus lançamentos mensais. Afinal, com um vídeo chegando a quase NCz$ 400,00 - e restrito, portanto as distribuidoras com maior cacife - há necessidade dos pacotes oferecerem retornos garantidos do investimento feito por cada empresário.

Trilhas trazem até o som do que ainda não se viu

O ano promete em matéria de trilhas sonoras, impulsionadas neste mês de março e festa do Oscar - o que faz com que ao menos as sound tracks dos nominados ganhem edições nacionais. É bem verdade que a melhor trilha da temporada saiu mesmo no final de 1988 - "Bird", o magnífico trabalho de remixagem que Lennie Niehaus fez com solos de Charlie Parker (1920/1955), com novos acompanhamentos, numa trilha à altura do belíssimo filme de Clint Eastwood - mas que infelizmente ficou apenas uma semana em exibição no Bristol (a trilha foi lançada pela CBS, em disco convencional e também CD).

E 27 anos depois, a BN volta ao Carnegie

A vodka é a mais recente musa inspiradora de Antônio Carlos Jobim. Há exatamente 11 dias, noite de 15 de março, no superlotado Carnegie Hall, em Nova Iorque, o mais importante compositor brasileiro - e considerado um dos cinco melhores contemporâneos - mostrou a sua mais nova composição: " Absolutilly [Absolutely]", letra em inglês, como todas suas obras, perfeita estruturalmente.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br