Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Paris Texas

Paris Texas

Mais cinema para ler

Como alertamos no texto introdutório da página sobre o levantamento dos livros sobre cinema e música editados em 1990 - publicado na edição de domingo de "O Estado" - a bibliografia ali reunida não pretendia ser completa. Na área de cinema, foram omitidos, por um problema técnico de composição, mais alguns títulos que hoje registramos. "A Arte do Cinema", de Rudolph Arnhim. Edições 70, 182 páginas. Cr$ 2.736,00. "Motion Pictures" - Coletânea de textos do cineasta alemão Wim Wenders ("Paris Texas"). 199 páginas, Cr$ 3.700,00. Edições 70.

Veja o filme de estréia de Sheppard como diretor

"Paris Texas", que há seis anos deu a Wim Wenders a Palma de Ouro em Cannes, não consagrou apenas o diretor alemão. Valeu também para que uma parcela de público passasse a se interessar pela obra de Sam Sheppard, co-roteirista daquele lírico filme sobre a solidão e o vazio existencial. Há seis anos, Sheppard já era, entretanto, um autor conhecido, tendo recebido o Pulitzer de Teatro com "Buried Child" - até hoje inéditos nos palcos brasileiros em montagem profissional.

Graças a Lucas, filmes que não chegariam ao circuitão

Enquanto as majors - CIC, MGM, Warner, Columbia, etc. - concentram suas atrações em filmes consagrados, produções que, quando de seus lançamentos nos circuitos de 35mm ganharam grande promoção - e têm assim, um recall junto à faixa acima dos 30 anos - e uma natural curiosidade aos que não assistiram na época, algumas distribuidoras têm, salutarmente, se voltado para produções independentes, que não chegariam ao Brasil no circuitão. São produções modestas, que mesmo em seus países de origem não obtiveram a repercussão - mas que nem por isto devem deixar de interessar a quem gosta de cinema.

O filme certo do black Lee

"Todo americano negro já se defrontou com o racismo. Pode não ser todo dia. É a mesma coisa que dizer "este cara é azul". Quando você vive lá, na América, você cresce com isso. É claro que agora não há mais os restaurantes ou toaletes separados, para brancos e negros. Nós fizemos o filme para mostrar que, mesmo assim, o racismo continua". (Spike Lee, diretor de "Faça a Coisa Certa").

A saga dos caminhoneiros

Depois de três anos do início das filmagens, "Jorge, um Brasileiro" chega às telas (em Curitiba, estréia dia 2 de março, cines Lido I e Itália). Super produção para os padrões brasileiros - mais de 30 empresas se associaram ao projeto de Paulo Thiago, pavimentando o projeto com empréstimos desde quadros até carretas e caminhões - a transposição às telas do romance de Oswaldo França Júnior há muito vem sendo aguardada.

Nas reprises, o melhor da música ajustada às imagens

Apenas uma estréia nesta terceira semana de 1989: "Idolatrada", produção nacional de pouquíssimas referências, dirigida pelo desconhecido Paulo Augusto Gomes, com Denise Bandeira, Mário Lago e Eduardo Machado (Cine Groff, 5 sessões). No mais, a programação nas telas continua a mesma da semana passada - mas com opções interessantes. Especialmente filmes que se identificam por excelentes trilhas sonoras - que aqui são registrados.

Ciranda de amores frustrados

João amava Teresa que amava Raimundo que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili que não amava ninguém. João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia, Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes que não tinha entrado na história. ("Quadrilha", Carlos Drummond de Andrade)

No campo de batalha

Produtora de espetáculos com a maior experiência, responsável pelo (pouco) de bom que tem sido nos palcos da cidade nesta magríssima temporada, Verinha Walflor está cuidando de dois eventos diametralmente opostos: o show do Legião Urbana (sábado, ginásio do Tarumã) e o concerto dos Meninos Cantores de Viena (auditório Bento Munhoz da Rocha Neto, dia 11). Embora dirigidos a públicos diversos e bem definidos, Verinha está preocupada em não embolar a divulgação dos dois eventos - cada um com sua faixa de apreciadores.

Vídeonotas

A concorrência entre as distribuidoras cresceu tanto que as mais organizadas começam a criar promoções especiais e dar mais atenção a relações públicas e marketing. Por exemplo a CIC Vídeo está estimulando as locadoras a reservarem os melhores espaços para fixação de posters, fotos e outros materiais dos filmes desta multinacional para, mensalmente, premiar as que apresentarem melhor rendimento. O prêmio: dois vídeos selados, que valem ao redor de Cz$ 25/ Cz$ 30 mil. xxx

Premiação a Severo faz revalorização de Kozák

Tímido por natureza, Fernando Severo, 30 anos, está vencendo duas inibições: de falar em público e modesto que é, contar mais sobre o seu trabalho, reconhecido por um imparcial júri no recém-encerrado XVI Festival do Cinema Brasileiro de Gramado: o seu curta "O mundo perdido de Kózak" ganhou o Kikito de melhor roteiro - e, na opinião de muitos poderia merecer também uma segunda premiação: melhor montagem.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br