Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Sérgio Ricardo

Sérgio Ricardo

Artigo em 07.01.1982

ARIEL COELHO, ator que de um modesto início em Curitiba em produções de seu amigo Antonio Carlos Kraide conseguiu catapultar sua carreira em escala nacional, voltou [à] cidade no início da semana.

Jair e Janete, sax - voz para a noite do Aluada

Após o cearense Eudes Fraga, que há duas semanas fez apresentações no Aluada-Café Concerto, Gersinho Bientinez, diretor artístico da casa, programou para ontem (quarta-feira) e hoje a dupla Janete e Joel Brito. Ela, gaúcha de Arroio Grande, radicada em Florianópolis - onde é considerada uma das melhores cantoras da noite barriga-verde, forma um duo voz-sax com Joel Brito, catarinense, que já tocou com Sivuca e Luís Melodia, entre outros.

Fio Terra quer por no ar quem tenha talento

Passam-se os anos, sucedem-se os modismos, modificam-se regras do mercado, mas os festivais musicais continuam a ser promovidos - todos, idealisticamente, abertos a revelar "novos talentos". Infelizmente, há muitos anos que as centenas de eventos competitivos que se realizam em todos os Estados não trazem, realmente, compositores da força daqueles garotos que, há um quarto de século, deram uma sacudida em nossa MPB. Mas afinal não é em toda geração que se encontra gente da dimensão de um Chico, Caetano, Sérgio Ricardo, Johnny Alf e outros.

A noite em que João Gilberto cantou em Curitiba (II Parte)

Como foi o fim da noite e a despedida de João Gilberto na única vez em que esteve em Curitiba? Eis uma parte que não detalhamos na crônica publicada domingo, 8, no suplemento "Almanaque", dedicado à Bossa Nova, motivada pelo boom nostálgico ao qual "Chega de Saudade - A História e as Histórias da Bossa Nova", de Ruy Castro (Companhia de Letras, 464 páginas), trouxe galões de combustível.

Uma noite de amigos e belíssimas canções

Se não houvesse problemas de direitos autorais, "Grandes Músicos, Grandes Amigos" poderia se transformar num histórico CD, vídeo ou especial para televisão. Pois embora tenham ocorrido algumas falhas técnicas - o som, por exemplo, estava inaudível quando Johnny Alf subiu ao palco e fez o primeiro número, melhorando quando apresentou sua nova descoberta (a bela jovem paulista, Sandra Pereira, cantando "Ilusão à Toa") - a emoção, o astral e o significado do evento o tornou um momento muito especial.

Bossa Nova, again!

No último domingo, após o show que fez no Centro Cultural do Portão, com o Quarteto em Cy, Carlos Lyra, 54 anos completados no dia 11 de maio, comentava conosco vários aspectos da Bossa Nova, méritos e algumas (poucas) omissões de "Chega de Saudade", de Ruy Castro - o best-seller deste final de ano e que, entre outras virtudes, acelera um novo boom em torno do movimento mais importante que já houve na música brasileira.

Videonotas

Jack Palance, 70 anos completados no último dia 18 de fevereiro, 40 de cinema (estreou em 1950, em "Pânico nas Ruas", de Eliz Kazan), criou a imagem de vilão, embora nos últimos anos, tenha se tornado mais simpático: em "Café Badgá", interpretava afetivo pintor hippie. E na série "Acredite se Quiser" (que a Manchete está reprisando), Jack é o mestre de cerimônias. Entretanto, em "Retrato de um Assassino", lançado em vídeo pela VMW, 85 minutos, Palance volta a interpretar um assassino.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br