Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS René Ariel Dotti

René Ariel Dotti

A Ilha do Mel nas imagens coloridas de Helmuth Wagner

No prelo em fins de 1989 - ano referência nas fichas catalográficas - os primeiros dois livros paranaenses a terem lançamento neste início de 1990 serão "Ruas e Histórias de Curitiba" de Valério Hoerner Jr. (dia 8, livraria Ypê Amarelo) e "Ilha do Mel", álbum de fotografias de Helmuth Wagner (em março, data ainda não marcada). A julgar por estes dois primeiros trabalhos, este início de década parece que será promissor para o campo editorial: o livro de Hoerner Jr.

Com a falta de dinheiro, os nossos curtas estão parados

No ano passado o Paraná esteve totalmente ausente no circuito dos festivais de cinema. Se em 1988, Fernando Severo conseguiu com seu curta, 16 mm, algumas premiações em Gramado, Brasília e Salvador - principalmente porque "O Mundo Perdido de Kozák" focava, com bom gosto e cuidados de realização, um tema muito simpático (o resgate de um pioneiro da cinematografia, com preocupações ecológicas já nos anos 40/50), no ano passado nenhum realizador paranaense conseguiu ingressar sequer na parte seletiva dos festivais.

Um Chico Mendes julgado na competição dos curtas-metragens

Fortaleza - Como eficiente assessor da Embrafilme, o jornalista Sebastião França, faz questão de contar a boa notícia: por determinação do ministro José Aparecido de Oliveira, da Cultura - após ouvir o apelo do secretário René Dotti (de quem França foi assessor especial por seis meses) a Fundação do Cinema Brasileiro vai agilizar a sua participação para que os quatro curtas-metragens, co-produzidos pelo governo do Paraná, sejam, enfim, finalizados. Não é sem tempo.

No campo de batalha

Luiz Groff foi ultraprestigiado no lançamento de "O Espírito do Vinho", que autografou durante quase três horas, no showroom da Olsen S/A, empresa da qual é diretor de marketing. Do vice-governador Ary Queiroz, primeira Dama Débora Dias, prefeito Jaime (e Fany) Lerner, secretário René Dotti e muitos outros nomes do poder, até amigos mais anônimos, foram levar seu abraço e adquirir (por NCrz$100,00) o livro de Groff, reunindo crônicas bem humoradas em torno de uma de suas paixões: a arte de beber bons vinhos.

Os novos tempos da Boca Maldita

"A Boca Maldita jura fazer deste nosso imenso país a grande democracia ocidental, onde a liberdade de expressão do pensamento e os Direitos Humanos constituam as bases fundamentais de nosso desenvolvimento." (Anfrísio Siqueira, presidente da Boca Maldita) xxx

Nicolau: os "rebeldes" também falam

Todo o respeito por vossas opiniões! Mas pequenas ações divergentes valem mais. Nietzsche Em resposta à carta do Secretário da Cultura do Paraná, Sr. René Ariel Dotti (publicada no "Almanaque" de O Estado do Paraná em 29 de setembro de 1989), a respeito do afastamento da equipe do periódico "Nicolau", temos alguns esclarecimentos a fazer.

Rebelião da equipe não interromperá "Nicolau"

Mais ampla que a crise provocada pela rebeldia da equipe que produzia o jornal "Nicolau" em não aceitar a criação de um conselho editorial designado pelo secretário René Ariel Dotti, levanta-se uma questão: até que ponto deve o Estado assumir a produção de publicações regulares voltadas exclusivamente à cultura?

René conta porque criou o Conselho

Datada de 26 de setembro, o secretário René Dotti, da Cultura, nos encaminhou a seguinte carta, esclarecendo questões relacionadas a publicação "Nicolau": "Prezado amigo Aramis: Conforme você já noticiou, a partir do mês de setembro, inclusive, o "Nicolau" passa a ser publicado sob a orientação de um Conselho Editorial integrado por profissionais de comprovada qualificação técnica e notável sensibilidade cultural.

Agora, enfim, a cultura popular

O Conselho Editorial do jornal "Nicolau" foi criado pelo secretário René Dotti, através da resolução nº 90/89, de 1º de setembro de 1989, publicada no "Diário Oficial do Estado" em 12/09/89, conforme aqui publicamos.

No campo de batalha

A revista Gráfica ganha nova estrutura legal, conforme registro feito em cartório. Creso Luiz de Moraes, 39 anos, dono da Enfoque, passa a ser oficialmente o redator-chefe da mais sofisticada publicação das artes gráficas do continente. Evidentemente, que a publicação continua a ser de seu idealizador e editor de arte, Miran (Osvaldo Walter Miranda, 41 anos, residente à Rua Jesuíno Lopes, 390), sócio do publicitário Carlos Alberto Ferreira da Costa, na Casa de Idéias - Editora de Vídeo e Gráfica (Rua Dom Alberto Gonçalves, 47), que é, legalmente a editora da publicação.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br