Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Paulo César Pinheiro

Paulo César Pinheiro

Artigo em 17.01.1982

Surpreendentemente, foi um frevo ("Muito Prazer", João Paraná/Panchito Arabé) que venceu o Abre-Alas – Festival de Música de Carnaval, em sua 2a edição, encerrada na semana passada. Para os paranaenses, o frevo é um gênero praticamente desconhecido – apesar de seu calor e vibração, o que pode explicar o engano que Paraná/Panchito cometem na primeira fase de sua música ("O frevo nasceu na Bahia)

Tereza Batista traz as novas e maravilhosas músicas dos Caymmis

Depois de excelente álbum da Família Caymmi, gravado em Montreaux, Suiça - lançado pela Polygram (e já entre os candidatos a um dos dez melhores do ano), a trilha sonora de telenovela "Tereza Batista" (Sigla/Som Livre) encarrega-se de tornar mais conhecidos algumas das melhores faixas daquela produção registrado ao vivo, além de catipultuar também "Amazon River", "The Wraith" e "The Desert" de (e com) Dori Caymmi de excelente álbum "Brasilian Serenata" (WEA), lançado apenas em CD e que, produzido nos EUA em 1991, ganhou indicação ao Grammy na categoria de "melhor álbum world music"

As canções de esperança do poeta Paulo Pinheiro

Só o fato de já ter merecido um livro interpretativo sobre a sua obra - "O Poeta da Esperança", de José Maria Souza Dante - dá uma idéia da importância de Paulo César Pinheiro dentro da cultura musical brasileira. Poeta e letrista, antes de tudo, este carioca 43 anos, completados no dia 28 de abril, é hoje um dos nomes mais importantes da criação poética no Brasil.

O genro baixista de Velloso que é filho da "Gata Mansa"

Normalmente cético em relação aos espetáculos apresentados no circuito da Fucucu - preferindo ficar em seu duplex, trabalhando em suas telas ou curtindo vídeo religiosos-culturais que coleciona - o pintor Fernando Velloso, 61 anos, esteve no último fim de semana no Paiol por uma razão especial. O baixista que acompanhava a cantora Marisa (Vertulo Brandão), A Gata Mansa, é seu genro.

A família Caymmi, o nosso maior patrimônio musical

Artur Xexéo, nosso bom amigo, jornalista do primeiro time do "JB", escreveu um texto preciso, excelente sobre um disco que, seguramente, estará em nossa relação dos dez melhores lançamentos do ano: "Família Caymmi em Montreaux"(Polygram, abril/92).

O Poeta morreu na estrada mas suas canções ficarão

Há exatamente um ano, um domingo, no principal clube de Pato Branco, Luiz Gonzaga Júnior fazia a sua última apresentação. Em excursão pelo Sul - que havia iniciado oito dias antes, no Teatro do Paiol, com o espetáculo "Cavaleiro Solitário", mostrava uma nova fase, como intérprete solo, acrescentando a um repertório já cinhecido por inúmeros sucessos oito novas canções.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br