Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS O Nome da Rosa

O Nome da Rosa

Barros, um estudioso do cinema internacional

A partir de hoje, O Estado do Paraná passa a contar com um novo colaborador internacional: o professor José Tavares de Barros, 54 anos, da Universidade Federal de Minas Gerais, que desde janeiro se encontra em Lyon, na França, fazendo estágio no Institut de Recherche en Pédagogie de L'Economie et en Audivisuel pour la Comunication das les Sciences Sociales, órgão do Centre National de la Recherche Schientifique.

Noel Rosa, atual e moderno revivido em seus songbooks

Transcorridos quase 50 anos da morte de Noel Rosa - ocorrida em 4 de maio de 1937 - e 81 de seu nascimento (Rio de Janeiro, 11 de dezembro de 1910), Poeta da Vila está mais vivo do que nunca. Difícil encontrar um brasileiro que não conheça alguma canção entre as 230 que Noel compôs em seus breves 26 anos, 4 meses e 4 dias em que viveu, amou e sobretudo compôs no Rio de Janeiro - com raras saídas da Vila Isabel, onde nasceu e viveu toda sua vida na casa de seus pais, Manoel Medeiros Rosa, gerente de uma camisaria e Maria de Azevedo, professora primária.

Uma visão corajosa de Brooklyn nos anos 50

Lançado obscuramente, apenas como complemento noturno da programação infantil do Cine Astor (o desenho animado "Bernardo e Bianca na Terra dos Cangurus", 14/16/18 horas), um dos mais interessantes filmes do ano sairá de cartaz amanhã visto por menos de 500 espectadores: "Noites Quentes no Brooklyn". O título - seguindo mais o menos o original, "Last Exit to Brooklyn" - afasta o público refinado, imaginando tratar-se apenas de um filme policial, com muita violência no mais assustador dos bairros novaiorquinos.

Curitiba vista pelo olhar de realizadores argentinos

Curitiba vista pelo olhar de quatro realizadores argentinos radicados em São Paulo: "Core & Tuba", uma riquíssima produção - mais de duas horas de filmagens para uma redução, em vídeo, de apenas 12 minutos - é belíssimo em suas imagens do fotógrafo Luís Scalero, que foi assistente em "Gringo Velho". Também o montador do filme de Luiz Puenzo, o portenho Juan Carlos Macis, foi quem selecionou as imagens, sob direção de Adolfo Drago e a produção de André Bukovinski (da Aba Filmes), experientes (e premiados) nomes do cinema publicitário.

Vídeo, leituras e cursos de Débora, nossa Primeira Dama

Na próxima visita a sua avó paterna, dona Mercedes Amaral de Almeida, em Ponta Grossa, a Sra. Débora Almeida Dias, Primeira Dama do Paraná, estará fazendo uma experiência de vídeo-maker. Utilizando uma moderna filmadora que possui há algum tempo, vai documentar, demoradamente, não só a sua idosa avó - 94 anos, mas com excelente saúde e muito bom humor - mas, principalmente, a casa em que ela reside.

Crianças encolhidas e mestre da música são boas estréias

Apesar de alguns filmes se manterem em cartaz, vindo ainda do final do ano passado - como "De Volta para o Futuro II" (Condor/Lido I), "Os Trapalhões na Terra dos Monstros" (Cines São João e Lido II, sessões da tarde) e "Os Caça Fantasmas II" (agora, em programa duplo, com "La Bamba", No Morgenau), começa a existir uma renovação na programação.

Dona Luciana, os caminhos da vida, coração e conhecimento

Se o publicitário Sérgio Mercer, dono da Parceria e ex-presidente da Fundação Cultural de Curitiba, possui um troféu literário de Umberto Eco - a sua gravata de lã, vermelha, por ele permutada durante um etílico jantar no Warsovia, quando o autor de "O Nome da Rosa", aqui esteve há alguns anos (conforme contamos recentemente), a professora e bibliotecária aposentada Luciana Sammut Rosenthal, ganhou um presente ainda mais especial do escritor: uma edição em italiano de "O Pêndulo de Foucault", com uma carinhosa dedicatória.

Quando Mercer trocou a gravata de Umberto Eco

Os estudantes e alguns professores dos cursos de letras e desenho industrial que numa noite da primavera de 1980 lotaram o anfiteatro da Pontifícia Universidade Católica, em seu campus no Guabirotuba, para assistir a palestra de um professor italiano, famoso até então por seus livros em torno da semiologia, estão hoje entre os que podem dizer: - "Eu curti a palavra ao vivo de Umberto Eco".
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br