Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Wilson Batista

Wilson Batista

As vanguardistas parcerias deste talentoso Cavalcanti

"Uma canção não é uma letra entoada. Uma canção não é uma melodia que diz. Uma canção é algo que ocorre entre verbo e som, sem privilegiar nenhum deles". (Arnaldo Antunes, poeta, letrista). Noite destas, no sempre notável "Jô: Onze e Meia", o poeta e letrista Abel Costa, falou sobre a importância dos letristas e, surpreendentemente, mostrou também uma belíssima voz, acompanhando-se ao violão. Um profissional que tem uma obra do melhor nível, com vários (e importantes) parceiros (Suely Costa, Fagner, etc.).

Revivendo as grandes duplas

Uma das preocupações de Leon Barg na montagem dos discos da Revivendo é apresentar as grandes duplas de nossa MPB. Duos que, em trabalhos mais consistentes e demorados - ou em curtas experiências - marcaram o nosso cancioneiro. Duas produções recentes são indispensáveis documentos desta proposta. Em "Foi um pedra que rolou" temos Joel e Gaúcho, Zé e Zilda, as irmãs Pagãs a dupla Verde e Amarelo.

Cascatinha e Inhana com as guaranias do coração

Nem só de fonogramas de músicas brasileiras vivem etiquetas como a Revivendo e Moto Discos.

Uma força para o Beijo ficar mais brasileiro

Para não dizer que não falamos de rock! Hoje e amanhã, no Teatro Paiol, o grupo Beijo AA Força faz duas apresentações (21h, ingressos a Cr$ 200,00) com um motivo especial: lançar a primeira fita gravada pelo selo Juke Box (seis músicas, Cr$ 500,00), anteriormente já levada em São Paulo e Rio de Janeiro.

O malandro regenerado enaltecendo o trabalho

Uma coincidência mas que merece um destaque: em 1940, o presidente Getúlio Vargas preocupava-se com o grande número de sambas em que se enaltecia a malandragem. Encarregou Lourival Fontes, diretor do Departamento de Imprensa e Propaganda, para aconselhar os compositores mais irreverentes a modificarem a temática: ao invés de enaltecer o ócio, deveriam valorizar o trabalho.

Jards, um coringa da MPB, em grande forma

Uma das melhores notícias deste ano de 1987 foi o retorno à cena de Jards Macalé (Jards Adet da Silva, Rio de Janeiro, 03/03/1943). Compositor, cantor, produtor musical, agitador de eventos, o bom Jards atravessava uma fase pesada, com mil problemas pessoais, o que o fez permanecer afastado dos discos e dos shows.

O documento da MPB com "titio" Caldas

O Titio não pára. Aproximado-se dos 80 anos - que deverão merecer amplas comemorações em 23 de maio de 1988 (atenção, Hermínio: lembre-se da data!), Sílvio Narciso de Figueiredo Caldas, legenda da MPB, imagem do que de melhor se produziu em canções de serestas nos últimos 50 anos, vez por outra deixa o seu sítio de Atibaia e concorda em fazer apresentações. Assim fez há alguns meses atendendo o convite do simpático Romualdo Zanoni, empresário de sensibilidade que tem levado a sua casa, o restaurante Inverno & Verão, em São Paulo, grandes nomes da MPB.

Paiol, o que fizeram com você?

Poderia ser uma efeméride festiva. Foi uma melancólica saudade. Sábado, 27 de dezembro, 15º aniversário de inauguração do Teatro do Paiol. A casa de cultura que por uma década foi um dos centros de animação artística de Curitiba é hoje um espaço abandonado e esquecido.

As monografias e ensaios

Os concursos públicos sobre compositores, músicos e intérpretes de nossa MPB, disciplinados pelo Projeto Lúcio Rangel, da Divisão de Música Popular da Funarte, chegam ao décimo ano consecutivo. Idealizados pelo incansável Hermínio Bello de Carvalho e com apoio do Conselho Nacional de Direito Autoral entre 1981/83 e com apoio da Petrobrás no ano passado, o projeto promoveu ao todo trinta concursos. xxx
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br