Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Pedro Jorge de Castro

Pedro Jorge de Castro

Pedro Jorge documentou "Vale dos Dinossauros"

Um dos mais ativos cineastas e intelectuais de Brasília, Pedro Jorge de Castro, 48 anos, cearense de Aurora, não se deixa abater pela crise do cinema brasileiro. Radicado há mais de 10 anos em Brasília, onde é um dos mais competentes e estimados professores do departamento de Comunicação Social da Universidade, na área de cinema, Pedro Jorge está sempre em atividade.

Barros, um estudioso do cinema internacional

A partir de hoje, O Estado do Paraná passa a contar com um novo colaborador internacional: o professor José Tavares de Barros, 54 anos, da Universidade Federal de Minas Gerais, que desde janeiro se encontra em Lyon, na França, fazendo estágio no Institut de Recherche en Pédagogie de L'Economie et en Audivisuel pour la Comunication das les Sciences Sociales, órgão do Centre National de la Recherche Schientifique.

No campo de batalha

O Cineduc - Cinema e Educação, grupo que atua na formação das novas platéias cinematográficas, promoveu numa das salas do Plaza Kubitschek uma oficina para mostrar as crianças como é - e como se faz - cinema, completada com projeções de filmes de animação e dois longas de Maurício de Souza. As professoras Hilda Ribeiro Soares, Marialva Monteiro (autora de "Cinema, Janela Mágica", 1980) e Regina Fernandes, mais Luís Fernando Batista, formaram um júri para outorgar um prêmio com a mensagem mais positiva a juventude entre todos os filmes aqui apresentados. xxx

Brasília, a Última Utopia, na visão de seis cineastas

Há dois anos, quando Reynaldo Jardim presidia a Fundação Cultural do Distrito Federal, o então governador José Aparecido - hoje ministro da Cultura - recebeu os participantes do XX Festival de Brasília para anunciar a decisão que havia tomado: financiar um filme, em episódios, isolados, que mostrassem aspectos diversos de Brasília através dos cineastas ali radicados.

No campo de batalha

1) - Maria Letícia, premiada como melhor diretora no Festival do Cinema de Curitiba - e ganhando assim uma passagem aérea da Lufthansa, Rio-Frankfurt - não veio a Brasília, onde seu filme "1º de Abril - Brasil", foi exibido na mostra informativa. Mandou a atriz Tessy Callado, filha do romancista Antônio Callado ("Quarup"), que foi a primeira a chegar. xxx

Nas belas imagens, a Capital do 3º Milênio

O primeiro episódio, "A Paisagem Natural", praticamente não tem diálogos. A fotografia (perfeita) de Walter Carvalho captura toda a natureza exuberante do Planalto Central: cachoeiras, rios, chapadas, cavernas, bichos e a vegetação do cerrado.

Mesmo na pobreza, haverá 22º Festival de Brasília

Nos últimos 26 anos o Festival de Cinema Brasileiro de Brasília tem uma longa história de dificuldades em sua sobrevivência. Na época mais difícil da ditadura militar, a resistência democrática que representava aquele evento irritava setores do governo que, por alguns anos, chegaram a suspendê-lo. Nos últimos anos, dificuldades financeiras e, por último, em 1988, divergências entre a presidência da Fundação Cultural do Distrito Federal - ocupada pelo Maestro Marlos Nobre - com as pessoas que o organizavam, também levaram a ter edições praticamente improvisadas.

Reminiscências do cinema dourado no "Minas Texas"

Brasília O cinema do Centro Oeste/Sudeste não poderia faltar nesta 22ª edição do Festival de Cinema, ao lado dos filmes abordando aspectos da realidade brasileira - como "Uma Avenida Chamada Brasil", de Octávio Bezerra - exibido na noite de quarta-feira - e "Que bom te ver viva", de Lúcia Murat, que emocionou aos espectadores na sexta-feira.

No campo de batalha

Finalmente um bom programa de jazz no rádio curitibano - estreou domingo, às 19 horas, "Jazz In Time", pela FM Ouro Verde - com produção em gravações CD (digital), exclusivamente com lançamentos internacionais. O programa é uma produção do milionário Caetano Cerqueira Rodrigues, 51 anos, que a exemplo de seu amigo (e também milionário) Jorginho Guinle, se dedica hoje exclusivamente a curtir a melhor música internacional. A coleção de Caetano é uma das maiores do país, formada por mais de mil CDs, exclusivamente de jazz.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br