Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS O Último Imperador

O Último Imperador

Uma antologia com temas de filmes contemporâneos

A montagem de álbuns com temas diferentes extraídos de filmes de sucesso é um macete dos mais utilizados pelas gravadoras. Geralmente os esquemas são repetitivos, com um cansativo desfilar de clássicos que vão de filmes produzidos há 50 anos ("Thara's Thing", de "O Vento Levou"), 35 anos ("Love Is As Many Splendored Thing", de Suplício de uma Saudade"), "Shane" (1953) ou, naturalmente, "As Time Goes By" (1942), que o pianista Dooley Wilson imortalizou no mais famoso dos filmes de amor ("Casablanca") - para só citar alguns exemplos.

Sketches da Espanha ao som de Miles Davis

Um filme que já vale(ria) pela sua trilha sonora (Marcus Miller / Miles Davis). Eis uma definição para "Marcas de Uma Paixão" (cine Bristol, até amanhã em exibição), desperdiçado neste lançamento - inclusive porque simultaneamente saiu em vídeo.

Afinal, filmes de ação para lotar os cinemas da cidade

Para que Aleixo Zonari, o simpático comandante local do circuito Fama Filmes, volte a sorrir - após semanas de rendas indigentes na maioria dos cinemas de seu grupo - estreou ontem "Máquina Mortífera 2", que no esquema de violência-ação pretende repetir o êxito de bilheteria da primeira parte, realizada há dois anos e que foi um dos grandes êxitos de bilheteria da temporada de 1987/88. Em termos de qualidade, não há que se esperar muito...

Cachorro japonês e a Igreja política são os lançamentos

Mais uma semana com duas estréias, algumas reprises e continuação dos filmes que estão obtendo boas bilheterias. Em compensação, uma estréia não poderia ser melhor: um documentário sobre a Teologia da Libertação em vários países do continente latino-americano, num trabalho corajoso e independente de Geraldo Sarno - "Deus é um Fogo" (Cine Groff, 5 sessões), que merece registro a parte.

Nem Cristo tentou mais o espectador

Polêmica não lota mais cinema. Prova disto é que apesar das milhares de centimetragens que a imprensa nacional e regional dedicou para "Última Tentação de Cristo", ameaças de protesto e explosões nos cinemas que o exibiram e as "vigílias religiosas" que as ingênuas freirinhas fizeram na galeria dos Cines Lido I/II - o filme de Martin Scorcese não foi uma atração fatal para os católicos (e não católicos). Estreou no dia 25 de novembro e ao final de uma semana, o Lido l, com seus 550 lugares, apresentava um borderô de 4.208 espectadores, que cairia para 2.650 na semana seguinte.

Violência, terror e comédia para melhoras as bilheterias

Em época de salas esvaziadas, com o público cada vez mais distante dos cinemas, só produções que tenham o tripé ação-violência-terror conseguem razoáveis bilheterias. Assim, depois de "Rambo III" e "Inferno Vermelho" (agora no Cinema I), duas das poucas grandes bilheterias dos últimos meses, temos cinco estréias capazes de darem uma reação: a violência em "Duro de Matar" (Plaza), "Nico, Acima da Lei" (Astor) e "Braddock III - O Resgate" (Palace Itália), o terror em "Príncipe das Sombras" (São João) e a comédia de "Um Príncipe em Nova Iorque" (Condor).

Cresce no Brasil o mercado de trilhas

Até que ponto a música do cinema resiste sem a força das imagens? Eis uma questão ampla e que para ser convenientemente desenvolvida exige longos ensaios, mesmo livros - aliás, raros internacionalmente, inexistentes em língua portuguesa. Um fato, entretanto, é certo: a sound track tem um público fidelíssimo, que neste primeiro semestre cresceu aproximadamente 12% em relação ao ano passado.

Um painel para reflexões

Na primeira seqüência, noite de novembro de 1976, em Crossroads, um favela dos sem-terras em Campe Province, África do Sul, as imagens de Ronnie Taylor já vão colocando a miséria e a opressão social. A perfeita trilha de Benton e Gwanga (merecidamente concorrente ao Oscar, mas perdendo para "O Último Imperador") vai dando os contornos dramáticos, que explodem com a chegada das tropas militares para destruir as habitações e expulsar as famílias que ali vivem.

"Feliz Ano Velho" inaugura amanhã Festival de Gramado

Gramado - Reformado e ampliado para 1.200 lugares, o cine Embaixador será inaugurado na noite deste sábado, com a exibição de "O Último Imperador", de Bernardo Bertolucci, antecipando ao início do XVo. Festival do Cinema Brasileiro de Gramado, que se estenderá até o próximo dia 25, quando serão anunciados os vencedores da mais importante mostra competitiva do cinema nacional.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br