Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Rua Ébano Pereira

Rua Ébano Pereira

Observatório

EM 1955, quando Ennio Marques Ferreira, Loio Pérsio e Manoel Furtado reuniram-se para criar a primeira para criar a primeira galeria de arte de Curitiba não imaginavam que estavam tentando estruturar uma nova espécie de relação artista-público. Na verdade, há um quarto de século surgia uma pequena loja na Rua Ébano Pereira - onde hoje existe mais um espigão disforme e antiestético que, direta ou indiretamente, influi por quase 15 anos na vida artística do Paraná.

A Cocaco sua época & sua gente

Para esclarecimento aos navegantes: a bela exposição "20 anos depois...", inaugurada há uma semana, na galeria de arte Cocaco (Rua Comendador Araújo, 777) é alusiva às duas décadas em que a pioneira galeria de arte pertence à sra. Eugênia Kuratcz Petrius, pois, na verdade, como uma pequena galeria e loja de moldiras ela foi inaugurada em 1957 na Rua Ébano Pereira, 52, por iniciativa do então recém-formado engenheiro agrônomo Ennio Marques Ferreira, associado a um colega de repartição em que trabalhava, hoje extinta Fundação Paranaense de Colonização e Imigração. Alberto Nunes de Mattos.

A cidade & sua loja

Sem dúvida o empresário Husseim Hamdar, 48 anos, libanês que chegou ao Brasil no início dos anos 50, seria um excelente secretária das Finanças ou Administração, se aplicasse na vida pública a mesma habilidade com que conduz seus negócios. De modesto balconista de uma loja de sapato, durante o dia, e gerente de uma bar próximo ao Cine São João, há 20 anos passados, é hoje dono de um dos maiores patrimônios imobiliários da cidade.

Franco voltou e mostra o que fez

É difícil encontrar alguém que não estime Franco Giglio, um italiano de Dolce Acqua, uma ladeia medieval que se localiza entre San Remo de Monte Carlos, na Riviera Dei Fiore, numa das regiões mais lindas da Europa.

Poderes superiores

O livre exercício profissional é uma coisa incontestável, assegurado pela própria Constituição. No entanto, a superintendência da Fundação Teatral Guaíra parece desconhecer por completo isso.

Observatório

MAIS uma elegante senhora da sociedade paranaense abre sua exposição individual: dona Ivete Ribas Macedo inaugura hoje a noite, na SH-316 (Rua Ébano Pereira, 316), de outra jovem senhora - Sandra Helena Larsen, uma mostra de trabalhos, que o convite sequer esclarece se são desenhos, óleos ou gravuras. Já na Eucatexpo. Emir Roth é quem está mostrando seus trabalhos. Em termos de informação cultural, indispensável de ser prestigiada a mostra "A Arte da Cerâmica", no Badep, como sempre organizada com competência por Domício e Leila Pedroso.

O auto custo do passeio

Com toda razão o Sr. Roland Guth, 34 anos, presidente da Indústria do Trigo no Paraná, exibia o mais aberto dos sorrisos, sábado, no almoço com amigos, na Iguaçu - Dr. Murici. É que afinal chegara ao fim uma batalha que ocupou muitas horas de sua vida profissional, desde que se integrou no sindicato, que vem presidindo já há algum tempo: acabar o "passeio do trigo".

Resnace a Cinelândia. Rernasce? (II)

A DECISÃO do grupo Mesbla S/A em instalar uma grande loja de departamento no Centro de Curitiba, justamente ao lado de uma de suas principais concorrentes - as << Americanas >> - prova de que a crise do petróleo e a inflação galopante e gasolina em escalada de preço, provocam o renascimento do comércio na área central.

Juarez-80, a calma e o gosto do doce de banana

Os 16 anos de Rio de Janeiro, a fama, a glória e mesmo a fortuna, não transformaram Juarez Machado, catarinense de Joinville, formação em Curitiba e que hoje é nome maior das artes plásticas. A mesma simplicidade dos tempos duros em que morava numa pensão da rua 24 de Maio (onde hoje há a sede da associação dos Servidores Públicos) e que no histórico Bar Jockey, na Rua Ébano Pereira, defronte a antiga << Cocaco >> , reunia-se com uma geração de jovens artistas - Franco Giglio (agora na Itália), João Osório Brzezinski, Fernando Calderati, Fernando Velosos, Érico da Silva, domínio Renato Pedroso.

Brasil fora dos guias

O conceito do Brasil anda por baixo, em termos de cinema e música, na Inglaterra. Ao mesmo, no que se refere aos recenceamentos feitos nos respeitados "Internacional Filme Guide" e "Internacional Music Guide", edições referentes a 1978, colocadas a venda nas livrarias da Inglaterra e Estados Unidos nas últimas semanas do ano passado. Guias de referência indispensável a quem se interessa em acompanhar o que acontece no cinema e na música, os dois guias não trazem, entretanto, a maior referências ao Brasil. ***
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br