Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS MPB

MPB

MÚSICA

Passado o Carnaval, a Odeon lança um novo e excelente suplemento da melhor música popular, onde se destaca, de princípio, o lp de Edu Lobo (foto) um de nossos mais férteis compositores e que desde 1969, não grava nenhum disco. Durante os dois anos que passou estudando nos EUA, fez os álbuns "Mendes presentes Lobo" (Inédito no Brasil) e "Cantiga de Longe", aqui lançado pela Phonogram, no início de 1971.

LIVRO

José ramos Tinhorão, jornalista de larga experiência, vem prestando trabalho dos mais meritórios em favor de nossa música popular. Dedicado a pesquisa e interpretação sociológica da MPB, Tinhorão desenvolve uma obra das mais representativas. Inicialmente de forma avulsa, nas páginas do Caderno B, do "Jornal do Brasil", entre 1961-66, com a coluna "Primeiras Lições de Samba" e posteriormente enfeixando seus estudos em livros polêmicos: "Música Popular - Um Tema em Debate"(Saga, 1966; JCM, 1969); "O Samba Agora Vai...

LIVRO

Reestruturando a Revista de Cultura Vozes, que há 66 anos vem sendo editada em Petropolis, pela lúcida casa publicadora católica, o poeta e comunicador social Moacyr Cirne, vem oferecendo a intelegentzia brasileira desde 1969, uma das mais úteis e objetivas publicações monográficas, que a cada dois meses analisa exaustivamente um tema de grande interesse.

MÚSICA

de uma coisa, ao menos o grupo Imperiais do Ritmo não pode ser acusado: falta de gosto na escolha do repertório. Pois em seu primeiro lp (Continental, SLP-10.087, janeiro-73) a seleção começa com o clássico "Cidade Maravilhosa" de André Filho, inclui temas de Herivelto Martins - Grande Otelo (Praça Onze), Wilson Batista - Haroldo Lobo (Emilia), Aldo Cabral - Benedito Lacerda (Despedida de Mangueira), Noel Rosa - Kid Pepe (O Orvalho vem caindo) e Roberto Martins (Meu consolo é você).

Palco/Som/Imagem

O Pianista, Marlon Nobre terminou de gravar, na tarde de sexta-feira, nos estúdios da Phonogram, GB, o << Concerto Breve >> e << Concertino >> - ambas peças de sua autoria, acompanhado pela Sinfônica Nacional, orquestra da qual é regente. Aliás, Marlos Nobre - que no ano passado esteve em Curitiba, participando de um debate sobre música clássica e que ainda este semestre virá apresentar um concerto no Teatro do Paiol - continua sua ascensão, progressiva e segura, tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, como compositor.

O Charme de Jorge Bem

COMPOSITOR, violinista e intérprete, Jorge Bem é, sem duvida , uma das mais importantes figuras da música popular brasileira. Criador de um estilo próprio de samba rítmica ao violão inigualável, Jorge Bem influenciou a música brasileira nos últimos anos, e dos vários caminhos que surgiram depois da Bossa Nova, o seu foi um dos mais importantes. Sua principal característica é a simplicidade mágica de suas linhas melódicas bem como seus versos puros e ingênuos.

Artigo em 23.01.1970

A Paranatur está realmente preocupada em resolver os problemas da Costa Azul: na semana passada o sr. Ernesto Pujol, diretor técnico da emprêsa, esteve em Guaratuba para ver quais eram as reinvidicações daquele município e todas as questões apresentadas estão sendo solucionadas. Já a assessoria de imprensa da Paranatur está elaborando um completo guia turístico estadual que dedica grande espaço para nossa faixa [litorânea], incluindo os seis municípios ali existentes, notadamente os balneários. XXX

O bando

Para entender "O Bando" é preciso compreender os Beatles e os Rolling Stones. O que aqueles dois grupos vocais-instrumentais fazem internacionalmente, é repetido, em escola subdesenvolvida, por estes seis jovens que aparecem agora em seu primeiro álbum (Polydor LPGN 44.043). Uma definição para "O Bando" é esta: "Excelente".

Música

Incentivada pelo sucesso que a Odeon alcançou ao reeditar antigas matrizes de boa música popular no selo Imperial e as vendagens expressivas alcançada pela RCA-Candem, com sua série "Remeniscência", a Copacabana criou em 1971, a Sérgio Colagem, dedicada a colocar novamente no mercado fonográfico os primeiros sucessos do seus artistas de maior popularidade. Na primeira "fornada", saíram álbuns de grande importância - como os discos de Dolores Duran, Inezita Barroso e Elizeth Cardoso (foto ao lado de cantores mais comerciais como Moacyr Franco, Angela Maria e Agnaldo Rayol.

Lançamento

Silvio Caldas que passou o fim de ano em Curitiba, com três históricas apresentações no Teatro do Paiol, orgulha-se de ter sido o primeiro cantor brasileiro a ter gravado um disco ao vivo: "Silvio Caldas em Pessoa", há mais de 15 anos. De lá para cá o registro de "show" ao vivo tornou-se uma formula rendosa, já que a gravação de espetáculos musicais, tomados com a participação (aplausos, assobios, valsas) do público, esquenta, dá maior vida as gravações.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br