Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1978 - Fevereiro)

O Iate de Pontal

O Paraná está ganhando mais um iate clube - o de Pontal do Sul. Um grupo de apaixonados frequentadores do balneário - o mais próximo do Planalto, na entrada da baía de Paranaguá, fundou o clube e já iniciou a construção da primeira etapa do ancoradouro de barcos, na entrada do canal. Os recursos estão sendo canalizados através da venda de títulos patrimoniais - Cr$ 7.600,00 cada - e comodoro Amadeu Clovis Greca garante que fica pronto até setembro deste ano. Depois uma sede social, com 400 metros quadrados e, no futuro, piscina, quadras de esporte, etc.

Bass, o menestrel-cassete

Victor Bass, 34 anos, 18 de vida musical, uma espécie de último menestrel da (vazia) noite curitibana, está circulando com new face: cabelos curtos, trajes menos berrantes e montado num reluzente Corcel azul. Adaptando-se aos novos tempos, também industrializou sua música: ao invés dos compactos que vendia, em complemento aos seus improvisados shows, Victor agora aderiu aos minicassetes, a Cr$ 100,00 a unidade - colocando uma dezena de cópias, por noite, junto aos endinheirados fregueses dos restaurantes de Santa Felicidade, Carreteiro, Bebedouro e outras casas. XXX

Não tem título

Houve muitas notícias, na imprensa nacional, sobre a viagem do compositor Milton Nascimento e seus músicos - Robertinho Silva, Fernando Brandt (seu letrista), Nana Novelli - a Los Angeles, para gravar um novo lp para A&M Records. O primeiro ("Raça"), feito no ano passado, vendeu razoavelmente, mas a produção foi muito arrastada. Este novo disco também não está sendo muito tranquilo: até a semana passada, ainda não haviam sido iniciadas as sessões de gravação nos caríssimos estúdios alugados.

Artigo em 01.02.1978

Enéas Athanazio, homem culto que consegue dividir o seu tempo entre a promotoria pública em Rio do Sul, SC, e uma constante atividade literária, publicando agora um ensaio jurídico dos mais oportunos: "O Promotor Público na Justiça Eleitoral" (Renzo Mazzone Editor, São Paulo, 47 páginas). Athanazio já tem 3 livros editados ("O Peão Negro", 73; "3 Dimensões de Lobato",75 e O Azul da Montanha", 1976), participação em cinco antologias e conclui a biografia do escritor mineiro Godofredo Rangel, autor de obra importantíssima, mas pouco conhecida.

Artigo em 02.02.1978

A lucrativa indústria dos motéis de alta rotatividade pode sofrer uma queda se a "novidade" introduzida pelos funcionários da portaria de um dos mais frequentados estabelecimentos na Rodovia dos Minérios tiver imitadores. Por diversão ou, provável chantagem, o pessoal vem gravando as íntimas conversas e ruídos dos discretos frequentadores do movimentado motel - e, posteriormente, por telefone, coloca os registros para audição dos fregueses. Isso já ocorreu algumas vezes e deixou, evidentemente muita gente com a pulga atrás da orelha.

O novo coração de Breno

Quem se lembra de Breno Sauer, aquele acordeonista e vibrafonista gaúcho, que dirigindo um excelente grupo instrumental, no estilo norte-americano Art Van Dame, fez sucesso no início dos anos 60 no Brasil?

E as músicas de Carnaval? (I)

O Carnaval começa amanhã, com bailes e desfile da Banda Polaca, e ganha um doce quem souber inteiro uma música que possa ser considerada como feita especialmente para este Carnaval. Aliás, a música de Carnaval - dentro daquilo que se conhecia como um gênero propriamente dito - há muito desapareceu, por dezenas de motivos que justificam todo um longo livro - a espera de um pesquisador disposto a escrevê-lo.

Eleições (I)

Ismail Macedo, 56 anos, paranaense de Castro que nunca deixou de se considerar "um caboclo das margens do Iapó" é um homem que nos anos 50 instalou vários cinemas em Curitiba ( Arlequim, São João, Vitória) e, em colaboração com Ä Tribuna do Paraná', então dirigida por João Féder - hoje conselheiro do Tribunal de Contas - promoveu memoráveis eventos cinematográficos como um festival de filmes nacionais e cinco edições da festa do "Tribunascope".

Eleições (II)

O grupo de associados da Thalia que decidiu, democraticamente, propor uma renovação no clube, vai passar o Carnaval trabalhando na elaboração de material de informação aos 4 mil associados, dando telefonemas e mantendo contatos diretos - para tentar derrotar o forte esquema que garante a José Vieira Sibut, há quase duas décadas o controle absoluto da sociedade da rua Comendador Araújo. XXX

E as músicas de Carnaval? (II)

A decadência da música carnavalesca está provada não só na ausência de novas composições feitas especialmente para a festa mas, também, pelo desinteresse das gravadoras em investirem no gênero. As grandes fábricas restringiram as edições em elepês específicos, buscando mais os sambas-enredos das grandes escolas que, as partir da metade dos anos 60, passaram a ser consumidos nos maiores centros.

O Instituto do Rim

Em breve, uma clínica de Londrina estará em evidência nacional - e mesmo internacional - pela seriedade e competência de seus profissionais, numa especialidade das mais importantes, o Instituto do Rim, criado há 10 anos naquela cidade, agrupando jovens médicos que em se especializando no Exterior, conseguiu uma reputação das mais elevadas no campo médico - justificando inclusive que muitos client

E as músicas de Carnaval? (III)

O cancioneiro carnavalesco é amplo, se visto de uma maneira global. Em 100 anos de folia foram muitas as músicas que ficaram - e se hoje há uma decadência na qualidade e quantidade de novas músicas, isso não significa que não continue a existir muita gente de inspiração e talento, capaz de fazer boas marchas, sambas, frevos e , principalmente, marcha-ranchos. Apenas que, fora do esquemas empresariais que comandam a indústria em que se transformou a música brasileira, ficam com seus trabalhos esquecidos, nos fundos de gavetas, só mostrados a poucos amigos.

O balé de Alice

Milena Morozowicz, que dirige o Ballet Thalia, criado por seu pai, Tadeu, está ainda recebendo cumprimentos pelo sucesso que foi a apresentação de "Alice no País das Maravilhas" com Bale Thalia, encenado em várias ocasiões no mês de dezembro último, dentro das comemorações do cinqüentenário de criação daquele grupo.

A (boa) Ficção infantil

Há mais de dois anos que um grupo de jornalistas e escritores do Rio de Janeiro, vem editando uma excelente revista de literatura: "Ficção" (Histórias Para O Prazer da Leitura). Trazendo contos - inéditos ou já consagrados, a revista dirigida por Cícero Sandroni, Eglê Malheiros, Fausto Cunha, Laura Sandroni e Salim Miguel, conseguiu se firmar num mercado difícil e altamente competitivo.

Descolorida usina de sonhos

"O Último Magnata" (Cine Condor, 5 sessões diárias) é, antes de mais nada, um filme para quem ama o cinema. Um filme sobre o cinema para quem o curte - em seus mitos, sonhos & ilusões. Mas, paradoxalmente, muito provavelmente, em termos de bilheteria, não alcançará a renda mínima exigida pela impessoal CIC para justificar uma segunda semana de exibição.

Depois do Carnaval

Mais uma vez o carnavalesco Chocolate (Mansuedem dos Santos), 49 anos, 33 de folia, não conseguiu ter o seu Ideais do Ritmo - classificado em primeiro lugar no grupo das pequenas escolas. Com 147 pontos perdeu para o Garotos Unidos, o que fez Chocolate dar seus gritos de protesto, durante a contagem dos votos, realizada sob forte esquema militar, no centenário hall do Instituto de Educação, no início da madrugada da quarta-feira de Cinzas.

Publicações

Luiz Renato Ribas, da Digital, está fazendo os últimos testes em uma nova publicação. Já fez circular três números pilotos mas ainda não está satisfeito. Oficialmente, o primeiro número sai no dia 4 de março, tendo de cara 8 mil assinantes. Como sempre a parte editorial foi entregue à competência de Célio Heitor Guimarães, talento ao qual deve ser creditado grande parte do sucesso de anteriores experiências editoriais de Ribas : "TV Programas", "Bola Bilhão" e "Peg-Jog" (1972) e "Guiatur" (1973). XXX

Tubarão Divino

A notícia não pode, até agora, ser confirmada oficialmente. Entre as desculpas para evitar qualquer informação mais segura a respeito está a de "não criar pânico no litoral". Mais ou menos como pensava o prefeito do balneário, cenário de "Tubarão" (Jaws, 74, de Steven Spielberg). Mas verdade ou mentira, boato ou fato verídico, era o tema principal de conversas em todas as praias do Paraná, durante o Carnaval. XXX

Delfim, Gilberto & Jaime

pelo menos um curitibano está acompanhando, de coração na mão, a briga de foice pela sucessão em São Paulo. É o engenheiro Gilberto Azeredo, especialista em problemas de trânsito, professor universitário, técnico do Departamento de patrimônio da prefeitura de Curitiba e nome cotado, em várias ocasiões para assumir o Detram. Gilberto é cunhado do ex-ministro Delfim Neto, seu amigo particular e, se o ex-embaixador do Brasil na França chagar ao governo paulista, é quase certo que Gilberto passará os próximos anos na capital paulista. XXX

O marketing de Pedroso

O empresário José Pedroso de Moraes conseguiu encerrar o ano de 77 não apenas com bons lucros, mas também fumando o cachimbo da paz com sues concorrentes, em são Paulo. Há dois anos, quando Pedroso, com sua agressividade e coragem caipiras, entrou no ramo dos tapetes e das forrações, em São Paulo, enfrentou a má vontade dos empresários quatrocentões, que não queriam, em absoluto, dividir o mercado com o concorrente curitibano.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br