Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Casa Romário Martins

Casa Romário Martins

A boa arte nos cem anos do Curitibano

Com toda razão o advogado Constantino Viaro pode respirar aliviado e tomar um merecidíssimo scotch quando o pianista e maestro Luiz Loy iniciou os acordes de uma dolente valsa já no começo da madrugada de sábado: afinal, as comemorações  do baile do centenário do Clube Curitibano haviam corrido dentro de fluxograma demoradamente pensado pela diretoria.

Graças a Urban, calçadão da Rua das Flores ganha documentação

Mais do que um dos melhores profissionais de nossa imprensa, Raul Guilherme Urban, 40, ex-O Estado do Paraná, hoje associado a Roberto Luiz Jung na Arte & Fotos Editora (especializada na Produção de house organs e publicações especiais) foi sempre um apaixonado estudioso de problemas urbanos.

Em uma centena de boletins, um pouco das memórias de Curitiba

Quando, em julho de 1974, então dividindo com o advogado Constantino Viaro e o arquiteto Alfredo Willer a direção da recém implantada Fundação Cultural de Curitiba, tivemos a idéia de criar uma publicação ágil, econômica e que pudesse divulgar diferentes textos ligados a Curitiba, Valêncio Xavier, homem de TV e pesquisador, que havia sido convidado para nos assessorar (*), trouxe uma idéia das mais oportunas: "Várias gerações de curitibanos colecionaram as figuras das Balas Zequinha mas nunca ninguém se preocupou em pesquisar quem criou o personagem, como ele surgiu".

Modestos, simples, mas referenciais históricos

A maioria dos "Boletins" da Casa Romário Martins estão esgotados. Os que restam são vendidos exclusivamente na Livraria Dario Velloso e na própria Diretoria do Patrimônio Cultural (Rua 13 de Maio, fone 223-2733) ou nas unidades a ela subordinadas. Entre os 98 números publicados há os mais diferentes assuntos - embora sempre ligados a Curitiba. Pode-se, inclusive, discutir a oportunidade e importância de alguns deles -, e, com sinceridade, a própria Maí Mendonça, reconhece que nem sempre a escolha dos assuntos (e autores) "foi a mais adequada".

Noite Vazia (III) - Nilo chorando com a morte da casa pela desordem na Ordem

Entre vários aspectos que o fechamento de endereços noturnos - como o Habeas Coppus e o Crystal - podem justificar numa apreciação mais ampla do que o simples registro está o da própria localização dos chamados eixos-de-animação da cidade. Desde quando presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba, na gestão do prefeito Omar Sabbag - com o qual viria a romper por razões técnicas (*), o então modesto arquiteto já se preocupava em que Curitiba tivesse espaços capazes de concentrar comércios específicos, inclusive o da noite.

Um bilhetinho irrita os vereadores curitibanos

Ao pretender "mandar um recado" aos seus ex-colegas da "egrégia Câmara Municipal de Curitiba", o deputado Rafael Greca de Macedo (PDT) acabou colocando mais lenha na fogueira de sua vaidade em pretender ser o sucessor de Jaime Lerner na Prefeitura.

Perfil - Pitella e a última carroça

É preciso sempre redescobrir a cidade. Esta é uma das preocupações do arquiteto Jaime Lerner, desde seus tempos de estudante, longe dos dias de poder e glória que desfruta neste momento. Saber ver a cidade, em suas características, seu comportamento e, especialmente suas pessoas.

No campo de batalha

Ítala Nandi, uma mulher que há 25 anos é intensa em tudo que faz, está na cidade, para apresentar hoje (16h30 e 19h30, auditório Antônio Carlos Kraide, no Centro Cultural do Portão) o vídeo "Índia - O Caminho dos Deuses", que realizou durante uma longa viagem aquele país, em companhia do filho Giuliano.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br