Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Embaixadores da Alegria

Embaixadores da Alegria

Vítola vai de Menezes e voltou ao Não Agite

Se não foi autor do primeiro samba-de-enredo do Carnaval curitibano – afinal o ex-industrial e hoje dirigente da Embaixadores da Alegria. Glauco Souza Lobo, reivindica tal pioneirismo – Paulinho Vítola tem o mérito de, há 12 anos, ter desenvolvido o primeiro grande enredo, com uma seqüência lógica, para a Escola de Samba Não Agite – 1970.

Observatório

A Secretaria da Cultura e Esportes promove o Abre Alas , concurso de músicas de carnaval, a Prefeitura de Curitiba destina generosas verbas para as nossas escolas-de-samba, mas falta ainda muita organização para os carnavalescos. Tanto falta que até ontem, nem o presidente da comissão organizadora do Carnaval 82, Nelson Santos, sabia quais os enredos das principais escolas da cidade.

Guia negro de Glauco para o nosso turismo

Autodidata antes de tudo, Glauco Souza Lobo, 48 anos, Secretário de Turismo de Curitiba, levou para a recém criada pasta uma importante experiência de quem há mais de 30 anos participa de coisas da cidade. Da presidência de escolas de samba (Não Agite, Embaixadores da Alegria) a liderança do movimento umbandista - cuja federação foi um dos organizadores - Glauco tem também uma respeitável quilometragem na noite, como freqüentador de bares, restaurantes e boites.

Os sambas-de-enredo que poucos sabem cantar em nosso Carnaval

Com humor, criatividade e amor que tem pela cidade, Hélio Leites, 40 anos, há quase dois meses já comunicava ao Sr. Nelson Santos, presidente da comissão executiva do Carnaval de Curitiba, que, pela segunda vez, a mais alternativa das agremiações momescas de Curitiba - a Ex-cola de Samba "Unidos do Botão" (com "ex" mesmo) sairia uma semana antes do Carnaval para um minimalista desfile pela Boca Maldita, apresentando seu samba-de-enredo e os sete mini-carros confeccionados por seus 21 integrantes.

Como cantar se as escolas escondem os seus sambas?

Carlos Eduardo Mattar, 50 anos, 38 carnavais, mais de 200 sambas-de-enredo da Escola Deu Zebra no Batuque - "Brasil Tropical", mas até terça-feira ninguém sabia a letra. Neil Hamilton Pereira, 58 anos, presidente da Associação das Escolas de Samba, dizia que a comissão executiva é que estava de posse dos dados. Nelson Santos dizia que ainda nada tinha chegado às mãos. E com isto, pode-se imaginar quem afinal saberá a letra do samba-de-enredo que a Zebra puxará no Carnaval?

No campo de batalha

A bela Karim Carlsberg, modelo, coreógrafa e executiva na área de seguros, reuniu ontem os alunos e professores do I Curso de Lambada, promovido em sua academia de danças, num jantar no Toscana, que terminou, naturalmente, embalado por demonstrações da sensual dança que depois de fazer sucesso na França afinal está sendo "descoberta" no Brasil. O êxito do curso que Karim bolou foi tamanho que já há alunos suficientes para duas novas turmas a partir de 5 de março. xxx

Reveillon na Marechal graças ao carnavalesco Glauco Lobo

Se a festa de reveillon na Rua Marechal Deodoro - uma das mais simpáticas promoções de lazer para a população, introduzida há alguns anos - for realizada no dia 31, deve-se, em grande parte, a um encontro casual do idealizador deste evento, o ex-diretor executivo da Fundação Cultural de Curitiba e ex-secretário municipal de Turismo, Glauco Souza Lobo, com o prefeito Jaime Lerner.

Glauco, o marechal dos carnavais na Marechal

Mesmo sem intenção, o animado Neil Hamilton Monteiro Pereira, presidente da Associação das Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos de Curitiba, acaba de colocar uma batata quente, em termos políticos, nas mãos do prefeito Jaime Lerner. É que no anteprojeto para o Carnaval de Rua-1990, Neil sugere, oficialmente, que o grande homenageado seja Glauco Souza Lobo, "o marechal dos Carnavais".

Cadilhe, um carnavalesco das memórias curitibanas

Se o carnaval curitibano tem uma memória ela se chama José Cadilhe de Oliveira. Pois este pontagrossense que se curitibanizou há quatro décadas - quando veio estudar na Capital - é o exemplo do Cidadão Samba, capaz de cantar mais de 300 marchinhas e sambas carnavalescos, contando alguma estória sempre bem humorada a respeito de cada uma. - Já pensei até em fazer um programa de rádio, em parceria com o Nireu (Teixeira, secretário dos Negócios do Governo da Prefeitura de Curitiba), que também conhece música como ninguém e tem ainda uma vantagem: é um exímio executante de caixa-de-fósforos.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br