Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Os Trapalhões

Os Trapalhões

Ghost, o fantasminha que o nosso público mais amou

Nem mesmo Alan Kardec explicaria: "Ghost - Do Outro Lado da Vida", uma comédia romântica, com toques parapsicológicos, realizada por um diretor semi-estreante com mínimo orçamento, se constitui desde sua estréia no maior êxito de bilheteria internacional. Em Curitiba, estreou ainda em novembro de 1990 no Condor e manteve-se em cartaz - no Lido I e II até completar o recorde: 57 semanas de casas lotadas, atingindo a marca dos 235.252 espectadores.

Os 10 filmes favoritos do público

1. Ghost - Do Outro Lado da Vida (Ghost), EUA, 90, de Jerry Zucker. Comédia paranormal. Exibido no cine Lido I (43 semanas), Lido II (1) foi visto por 235.252 espectadores. 2. Esqueceram de Mim (Home Alone), EUA, 90, de Chris Columbus. Comédia familiar. Exibido no cine Astor (9 semanas), Itália (13) foi visto por 116.834 espectadores. 3. Dança com Lobos (Dance With Wolves), EUA, 90, de Kevin Costner. Aventura. Exibido no Cine Astor (8 semanas), Cinema I (6), Itália (8) foi visto por 101.320 espectadores.

Festival iniciou com múltiplas atividades

Brasília - Instalado de forma solene e original na noite de ontem, com uma exibição de um filme-mito de cinematografia brasileira - "Limite", realização única de Mário Peixoto, 81 anos, em 1931 - em sessão com a participação de Sinfônica regida pelo maestro Silvio Barbato - o 24o.

Da comédia à sátira

Um sucesso como "Os Embalos de Sábado à Noite", que há 14 anos criava o modismo das discoteques, não acontece todas as décadas. Para John Badham, 52 anos, aquele filme que lançou ao estrelato o ator John Travolta e valeu aos Bee Gees milhares de discos de ouro pela trilha sonora (50 milhões de cópias vendidas), também abriu as portas do sucesso.

Das flechadas, aos possessos até Godard

Do sexagenário vanguardista Jean Luc Godard ("Nouvelle Vague") a uma refilmagem de uma das mais famosas histórias de arco e flecha que pelo prestígio de seu ator - Kevin "Dança com Lobos" Kostner - está transformando-se no novo boom das bilheterias ("Robin Hood, o Príncipe dos ladrões"), a semana promete, fazendo um inédito Wajda ( "Os Possessos"), uma circense produção de Jean-Jacque Beineix ("Roselyne e os Leões") e , para a garotada que entra em férias, "As Tartarugas Ninja II - O Segredo do Onze", em versão original (Astor) e dublada (Cinema ), e "Os Trapalhões e a Árvore da J

Brasília, a capital da esperança para o cinema brasileiro renascer

Na noite de 9 de julho, quando o cineasta Rogério Sganzerla, 45 anos, subiu ao palco do Cine Brasília, para receber um retrato emoldurado com a imagem de José Mojica Marinz ("Zé do Caixão") defronte o túmulo de Carmen Miranda - oferta de seu amigo Ivan Cardoso, em nome da Associação Brasileira de Cineastas, como prêmio pelo seu média-metragem "Assim é Noel", houve a única manifestação político-cinematográfica da noite - excluída às vaias dadas a Neville de Almeida (e a atriz Claudia Raia) por sua premiação como melhor diretor ("Matou a família e foi ao cinema").

O reggae dos gatosos da Baixada Fluminense

Embora já funcionando com a nova designação - Sony Music (Brasil) - o selo CBS - e suas várias etiquetas associadas - não desaparecerá imediatamente. Por enquanto, o título Sony fica reservado para a produção classe A, especialmente clássicos (e jazz) vindos do Exterior.

Só 26 filmes nacionais foram lançados em 1989

Projetos não faltam, realizá-los é que são elas. No cinema, mais do que em qualquer outra área da indústria cultural, a inquietação é grande. Afinal, qualquer projeto de curta, média ou, especialmente, longa-metragem, exige orçamento na casa dos muitos mil dólares - e nesta época de crise, inflação galopante e expectativas dos novos tempos (duros) econômicos, investir em cinema é algo que fica cada vez mais distante.

Crianças encolhidas e mestre da música são boas estréias

Apesar de alguns filmes se manterem em cartaz, vindo ainda do final do ano passado - como "De Volta para o Futuro II" (Condor/Lido I), "Os Trapalhões na Terra dos Monstros" (Cines São João e Lido II, sessões da tarde) e "Os Caça Fantasmas II" (agora, em programa duplo, com "La Bamba", No Morgenau), começa a existir uma renovação na programação.

Quem bom que o documentário de Lúcia esteja em exibição

"Que bom te ver viva", em nossa opinião o mais importante, oportuno (e não oportunista) e sincero filme brasileiro - disparado o melhor de 1989 e um dos 10 mais importantes da década - chegou ontem à tela do cine Ritz (5 sessões, previsão de ao menos duas semanas em cartaz).
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br