Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS PTB

PTB

Memórias da Oposição (I)

Por uma feliz coincidência, o lançamento de "Por Dentro do MDB" de Sylvio Sebastiani (edição do autor, 144 páginas, Cr$ 25.000,00), com noite de autógrafos na última sexta-feira, 10, na Biblioteca Pública do Paraná, coincidiu, com uma excelente notícia para todos os homens que, nos tempos da dura de repressão, cerraram fileiras no partido oposicionista no Paraná: o retorno de Enéas Faria ao Senado, como suplemente do senador Affonso Camargo, desde ontem novamente no Ministério dos Transportes (e Comunicação).

Memórias da Oposição (II)

Curiosamente, muitos dos políticos citados por Sylvio Sebastiani em "Por Dentro do MDB" (edição do autor, 144 páginas, Cr$ 25.000,00), passados quase 30 anos, continuam em destaque na política, alguns retornando aos espaços nobres, nos últimos anos, como o senador Affonso Camargo - agora ministro dos transportes e Comunicação e seu suplente, Enéas Faria. Já na página 7 do livro, Sebastiani, como homem que participou da criação do partido da oposição nos duros tempos da repressão, lembra que "organizar uma oposição concreta no país censurado pelos autos institucionais não foi fácil.

Memórias da Oposição (IV)

Embora diplomaticamente, evite fazer críticas maiores a companheiros emedebistas - mesmo aos que, em diferentes ocasiões, abandonaram o partido e passaram para o conforto da Arena, [Sylvio] Sebastiani, nas 144 páginas do recém-lançado "Por Dentro do [MDB]" não deixa de questionar o comportamento do hoje senador José Richa, que apesar de ser fundador do MDB, em diferentes ocasiões não teve, segundo o autor, as posições que se esperavam.

Memórias da oposição (V)

Há pelo menos 15 anos que o mais respeitado jornalista político, o veterano Samuel Guimarães da Costa, 74 anos, 50 de imprensa, promete publicar um grande livro sobre o Paraná e seus homens, sua política.

Reinhold, a competência de um bom administrador

Há 26 anos, quando deslanchava uma administração que, na época, mudou a fisionomia urbana de Curitiba, o prefeito Ivo Arzua Pereira esbarrava com um problema que até há dois anos era o calcanhar-de-aquiles do município: dificuldades orçamentárias (hoje, com os altíssimos índices do IPTU, a administração Lerner dispõe de recursos milionários).

Se Lerner renunciar, Zelia ou Nelly podem chegar a prefeita

A possibilidade do prefeito Jaime Lerner disputar a prefeitura do Rio de Janeiro - em decorrência do domicílio eleitoral ficar reduzido em 100 dias - provocou, naturalmente, um vendaval de boatos e especulações neste período em que os partidos começam a definir seus candidatos. Ontem, pela manhã, um aspecto novo na questão - naturalmente sujeito a múltiplas interpretações - era analisado por vários experts em política: no caso de Lerner renunciar a prefeitura em junho para concorrer à sucessão do prefeito Marcelo Alencar, com todo apoio da máquina brizolista, quem o sucederá na prefeitura?

Artes e amores de Violeta, a rebelde

Se o programa editorial deslanchado na administração dotteana na Secretaria da Cultura tiver prosseguimento sob a competente orientação de Regina Benitez, um livro que deveria ser reeditado é o tratado paranista que aborda a geologia e tribos indígenas paranaenses, escrita há mais de 50 anos pelo geólogo Paulino Franco de Carvalho. Pelo menos, o secretário da Administração, advogado Luiz Gastão de Alencar Franco de Carvalho e sua irmã, a pintora Violeta Franco, ficariam felizes.

Um amplo fórum para o debate da cultura

O vereador Jorge Bernardi (PDT) aproveitou a sessão de segunda-feira, 13, na Câmara Municipal, para levantar uma ótima idéia: a criação de um conselho municipal de cultura e, especialmente, a promoção com auspícios do Legislativo, de um seminário em que vários aspectos da questão cultural sejam, discutidos em profundidade. Uma proposta excelente, aplaudida por todos e que se torna necessária para possibilitar que seja realmente definida uma política cultural oficial - já que na atual administração, nunca foi apresentada pela FCC um projeto a respeito.

As histórias do PTB na experiência de Mathias

Um dos raros exemplos de coerência partidária, o veterano Mathias Júnior, 74 anos que estará comemorando neste sábado, 23, paranaense de Irati, como um dos fundadores do Partido Trabalhista Brasileiro, preparou um resumo histórico do partido. Elaborado com sua visão de homem que acompanhou desde as primeiras reuniões que precederam a criação do PTB - nascido numa reunião na antiga Sociedade de Educação Física Duque de Caxias (no local onde hoje existe as lojas Muricy), a história do PTB tem em Mathias o seu melhor narrador.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br