Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1985 - Março)

No campo de batalha

Teresa Teixeira de Brito, professora formada em Letras, hoje atuando na área administrativa da Universidade Federal do Paraná, sempre admirou muito a atriz Márcia de Windsor. Conhecendo seu filho, Arlindo Barreto (o palhaço Bozo, da TVS/Canal 4) animou-se a fazer um livro biográfico sobre Márcia. Um ano depois a obra ficou pronta tendo merecido manhã de autógrafos, na semana passada, na Livraria Dario Velloso. xxx

"Treze", uma zebra que pode dar certo

Entre muitos méritos, José Maria Santos tem o da honestidade pessoal e artística. Lapiano cinqüentenário, 31 de teatro (começou amadoristicamente, na escola de arte Dramática do Sesi), é hoje um dos poucos profissionais que vivem exclusivamente de teatro no Paraná. Seu curriculum é grande e, homem sem papas na língua, sempre desafiou os temporários donos do poder com posições corajosas e críticas - quando necessário.

A missa que Airto fez para a Alemanha

Dona Zelinda Moreira, 72 anos, curtiu uma grande emoção, a semana passada: na pequena tela de um televisor Orion, conectado a um vídeo-tape alemão, pôde assistir às imagens da emocionante "Missa Espiritual" que seu filho, Airto Guimorvan Moreira, apresentou na Catedral de San Martin, em Colonia, nas noites de 10 e 12 de dezembro de 1983.

A morte de Reutter, esquecido no Brasil

Passou desapercebida, na imprensa brasileira, a morte de um dos mais respeitados compositores alemães de música erudita, Hermann Reutter, falecido a 1º de janeiro último. Completaria o 85º aniversário a 17 de junho e a Schott's, editora da qual foi contratado por mais de 60 anos, já tinha até editado um catálogo comemorativo dessa efeméride. xxx

Programa lírico

Um programa para os (muitos) curitibanos que apreciam o canto lírico. O casal Mazias e Deny de Oliveria, apresenta um recital com árias de óperas e canções brasileiras, hoje, às 20,30 horas, no auditório do Cefet (Avenida 7 de Setembro). No programa, estão árias de "La Boheme", "Traviatta", "Fausto", "Butterfly" e "Falsfatt", entre outros. xxx O tenor Mazias e a soprano Deny moram em Santa Maria, onde lecionam no curso de música da Universidade Federal. Retornaram há poucos meses dos Estados Unidos, onde se completou mestrado em Ópera e Canto. xxx

Alguns homens grandes que escrevem para os pequenos

Na literatura infantil ocorre, aparentemente, uma espécie de matriarcado. Da informação especializada, através do sério trabalho desenvolvido por jornalistas que se dedicam ao setor (Ana Maria Machado, Fanny Abramovich, Paula Saldanha, Laura Sandroni, entre outras) às autoras, só homens perdem em número. Entretanto, isto não significa que os escritores também não se voltem, vez por outra, ao fértil território das crianças. Eis alguns positivos exemplos de autores de livros infantis.

A poesia anos 80 de Miguel Almeida

A poesia é necessária. Uma verdade que se repete a cada vez que mergulhamos numa leitura de um bom autor - famoso ou jovem - que procura sua verdade através das palavras que monta/cria/sensibiliza o leitor. Sente-se isto perante vários livros que, lançados mais ou menos recentemente, nos aproximam de poetas com muita sensibilidade.

Balcão de Ofertas - Explicações de Langoni para a dívida externa

Lançado no último dia 31 de janeiro, na sede da Confederação Nacional do Comércio, no Rio de Janeiro, "A Crise do Desenvolvimento - Uma Estratégia para o Futuro", entra, forçosamente, na lista dos mais vendidos na categoria de não ficção. Justifica-se: seu autor é Carlos Geraldo Langoni, que até há poucos meses era presidente do Banco Central - e portanto integrava a tríade de maior força da descabelada economia brasileira.

O som dos pampas (II) - Galileu e Coelho com suas canções de amor

GALILEU ARRUDA (Passo Fundo, RS, 1953) - é o exemplo da força de vontade, dedicação e entusiasmo somado a um grande talento. Em 1982, durante as várias eliminatórias do MPB-Shell, de cujo júri fizemos parte, tivemos ocasião de conhecer Galileu Garcia, então morando no Rio de Janeiro e buscando seu espaço num terreno movediço e difícil. Em inesquecíveis almoços-jantares na casa de uma das pessoas que mais força dava a Galileu, a incrível e eclética Isolda D'Ambrósio (cuja importância na MPB em trabalho dos bastidores, um dia será reconhecido em prosa e verso), conhecemos a música de Galileu.

Ópera sem canto

Há mais de 20 anos a RCA editou em seu prestigioso selo Red Seal um disco que alcançou grande vendagem em todo o mundo: "Ópera Sem Canto". Uma grande sinfônica interpretando aberturas de óperas famosas num trabalho didático: a apresentação da belíssima música criada pelos grandes compositores de óperas em tratamento apenas orquestral.

Jazz sem concessões (e muita vanguarda)

A Barclay (ex-Ariola) agiu com a maior inteligência em termos de seus lançamentos de jazz no ano passado: ao lado de um pacote com tesouros de etiquetas especializadas como a Riverside, Prestige, Fantasy e Milestone - com preciosidades registradas pelos mais importantes jazzístas especialmente nos anos 50 - também assumiu a ECM, a prestigiosa etiqueta de Manfred Eicher, da Alemanha Ocidental, que se orgulha de ter o menor - mas o mais selecionado - elenco de Gênios da música contemporânea.

Contrapontos da literatura

Uma das mais antigas editoras brasileiras, a Vozes tem um dos mais respeitados catálogos de obras destinadas ao público universitário. São centenas de títulos cobrindo as mais diferentes áreas. Agora, mais um bom lançamento abre uma nova coleção - a Debate Cultural: "Os Contrapontos da Literatura" (Arte, Ciência e Filosofia).

Um belo duo que vai do clássico ao jazz

As aproximações entre o clássico e o jazz são mais frequentes do que se possa imaginar. Afinal, para um grande virtuose tanto a chamada música erudita como a liberdade do improviso jazzístico oferecem idêntica fascinação. Friedrich Gulda, por exemplo, sempre contrapôs aos seus célebres recitais eruditos com espontâneas jam-sessions - muitas das quais registradas em elepê, como a recente "The Duet", com Chick Corea, lançando num belíssimo lp da Barclay há poucos meses.

O sonho da Estadual e as lições da Nacional

Mais uma vez a restruturação da Rádio Estadual volta a ser discutida. Desta vez, fala-se mesmo na criação de uma propalada fundação - ou até companhia de economia mista - capaz de possibilitar não só o real aproveitamento de um canal radiofônico como veículo cultural, mas, também, a implantação de uma sonhada TV Educativa. Ao longo dos últimos 25 anos, várias vezes se prometeu dar à Rádio Estadual do Paraná melhores condições de funcionamento, mas continua a ser a filha enjeitada da comunicação.

A boa estrela de Enéas

Para quem conhece Enéas Faria, sua bela vitória para a primeira secretaria da mesa do Senado Federal não surpreende. Afinal, desde que frequentava a escola primária, Enéas sempre se revelou um educado e habilidoso negociador, em termos políticos. Assim foi, desde garoto, aprendendo a conquistar adeptos e, naturalmente, ocupando cargos, até chegar à presidência da União Paranaense dos Estudantes Secundários, numa época em que a política estudantil fervilhava.

Nas memórias de Booker, o Paraná ficou esquecido

Dentre os muitos temas e personagens que aguardam pesquisas para o enriquecimento da música popular, está, sem dúvida, a vida do saxofonista e pistonista Booker Pittman. Especialmente para quem se interessa por jazz, o fato de um dos grandes instrumentistas americanos ter vivido oito anos, no Norte do Paraná (1949-1957), na pior fase de sua vida, oferece aspectos curiosos, para entender como um músico que era admirado por Count Bassie e Louis Armstrong chegou ao ponto de, alcoólatra, toxicômano e doente, ser expulso até dos mais decadentes bordéis.

Reabertura do Paiol com talento da casa

O convite de Peter Hahn, diretor do vanguardista Am Turmn, para a cantora Cyda Moreira fazer uma temporada naquele teatro de Frankfurt, Alemanha Ocidental, alterou, de certa forma, a programação do Teatro do Paiol. Em longo telefonema a Marinho Galera, coordenador de programação musical da Fundação Cultural, Cyda desculpou-se de não poder vir abrir a temporada de 1985, que começa no próximo dia 16. Afinal, a chance de cantar num templo da arte não convencional, numa das maiores cidades da Europa, possivelmente seguida de excursão a outros países, é oportunidade que ninguém pode jogar fora.

Ângela, 40, a eterna rainha

Quem foi rainha, nunca perde a majestade. A prova está nas páginas da "Veja" desta semana. Na interessante seção "Em Dia", que busca mostrar o quer fazem hoje as pessoas que estiveram em evidência há alguns anos, a focalizada é Ângela Vasconcelos, Miss Brasil 1964 e finalista do concurso Miss Universo. xxx

Gomes quer indenização pelo uso de sua Sabrina

Exibido há um ano, no XII Festival do Cinema Brasileiro de Gramado, só há duas semanas foi lançado no Rio de Janeiro o filme "A Flor do Desejo", do cineasta paulista Guilherme de Almeida Prado. E a estréia só pode acontecer após uma sentença do juiz José Monteiro, da 12ª Vara Cível de São Paulo, no processo 1.669/84, movido pelo escritor e professor Roberto Gomes, de Curitiba, autor do conto "Sabrina de Trottoir e Tacape", que baseou o roteiro da fita.

Presença de Denise e programa de Zuza

A estrela sobe. A iratiense Denise Stocklos, hoje o primeiro nome da mímica no Brasil, continua na maior evidência, requisitada para o que existe de melhor em termos artísticos. Por exemplo, desde o dia 27 de fevereiro, é a única artista fixa do projeto Women, realizado no Teatro Sesc-Pompéia, dentro das comemorações que o Sesc-São Paulo idealizou para lembrar o Dia Internacional da Mulher (8 de março).
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br