Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Walter Hugo Khouri

Walter Hugo Khouri

O cinema brasileiro fica de fora dos lançamentos

Assim como a chamada lei da Obrigatoriedade foi o grande cavalo-de-batalha da indústria cinematográfica brasileira a partir do final dos anos 60 - e especialmente na década de 70 - a questão repete-se com a reserva de mercado para os filmes brasileiros junto ao segmento do vídeo. A questão é ampla, complexa e polêmica mas deve ser discutida! Os realizadores brasileiros conseguiram, após muita luta, chegar até a 140 dias/ano para que os filmes produzidos em nosso país fossem exibidos no circuito comercial.

Esperando Rouanet, cineastas no astral otimista de Gramado

Gramado, A chuva e o frio - menos intensos do que se poderia esperar neste inverno - não prejudicam o bom astral que marca o mais prestigiado dos festivais do cinema brasileiro. Apesar do público reduzido na abertura, segunda-feira à noite, quando "Os Desertos Dias", de Fernando Severo, foi o primeiro curta projetado na tela do cine Embaixador, esta 19ª edição do festival que coincide com o sancionamento, amanhã, quinta-feira, em Brasília, da lei que com o nome do atual Secretário Nacional da Cultura, faz renascer as esperanças dos produtores culturais do Brasil.

Merecida homenagem para os 41 anos de cinema de Khouri

Gramado Hoje a noite, no cine Embaixador, antes da exibição dos últimos três curtas ("Bastidores", de Carla Camurati; "Viver a Vida", de Tata Amaral e "A Verdade", de Nelson Nadotti) e do longa "Sampaku - O Olho da ambição" de José Joffily, que disputam a premiação, será prestada uma merecida homenagem: a entrega do Troféu Oscarito, instituído pela Fundação Banco do Brasil, para o cineasta Walter Hugo Khouri (no ano passado, o homenageado foi Grande Otelo).

No campo de batalha

Julia Lemmertz filha da saudosa Lilian Lemmertz (atriz favorita de Walter Hugo Khouri), aos 27 anos, segue a carreira da mãe: pode ser vista em "Lua de Cristal" (Plaza/Lido I), ao lado de Xuxa, e também estará no palco do Guaíra, a partir do dia 28, na comédia "Ela Odeia Mel", ao lado de Edson Celulari, Lena Brito, Cláudio Abreu e Nelson Baskerville. Julia tem feito muitas telenovelas ("Os Adolescentes", "Eu Prometo", "Tenda dos Milagres", "Mania de Querer") e recentemente atuou numa cult-play, ao lado de Fernandinha Torres: "Orlando". xxx

De olho na câmara

Adnor Pitanga, 44 anos, alagoano, nomeado para a presidência da Embrafilme - substituindo ao mineiro Moacyr de Oliveira, já fez um filme sobre Curitiba. Em 1972, na primeira administração Jaime Lerner, Pitanga aqui rodou um curta de 12 minutos - o primeiro filme, aliás, sobre as mudanças que começavam a serem feitas no cenário urbano. Com um detalhe: foi uma produção independente, que nada cobrou do município - a não ser as despesas de infra-estrutura (transporte, hospedagem, etc.).

No dia do teatro, o vídeo em homenagem ao grande Zé

No mínimo, a emoção. Quando as imagens de José Maria Santos forem projetadas no telão do Museu de Imagem e do Som, no auditório Brasílio Itiberê, no próximo dia 27, com a primeira exibição pública de "Mal", todos que conheceram e aprenderam a admirar José Maria Santos sentirão profundamente a sua ausência. Num vídeo de 9'45" - no qual aparece cerca de cinco minutos - ficou perpetuado o seu último trabalho, feito exatamente três semanas antes de ser internado no Instituto de Medicina e Cirurgia do Paraná.

Uma festa bonita, com tudo funcionando certo

A receita da simplicidade deu certo. Assim é que os próprios diretores do FestRio - Luís Carlos Barreto e Nei Sroulevich, mais Cláudia Furiati, coordenadora dos seminários e videomaker, foram os mestres de cerimônia na festa de encerramento, a partir das 17h15 de sábado, 2, no Cine São Luiz - totalmente lotado. Com isso evitaram-se gafes e enganos que, em edições anteriores, com as apresentações dos premiados entregues a artistas de televisão, mesmo experientes, prejudicou o brilho das mesmas.

Os Premiados do VI FestRio/Fortaleza

CINEMA MELHOR FILME (Tucano de Ouro) - "Territórios Ocupados" (Sadot Ierukim), Israel, de Isaac Zepel Yeshurun. MELHOR DIRETOR (Tucano de Prata - Troféu Glauber Rocha) - Peter Greenowey, pelo filme "O Cozinheiro, o Ladrão, sua Mulher e seu Amante" (The Cook, The Thief, His Wife and Her Lover), Holanda. MELHOR ATOR Samuel Fuller, EUA, no filme "Sons/Em Busca do Amor Perdido", de Alexandre Rockwell. MELHOR ATRIZ - Helen Mirrer, do filme "The Cook, The Thief...", de Peter Greenoway.

Quem bom que o documentário de Lúcia esteja em exibição

"Que bom te ver viva", em nossa opinião o mais importante, oportuno (e não oportunista) e sincero filme brasileiro - disparado o melhor de 1989 e um dos 10 mais importantes da década - chegou ontem à tela do cine Ritz (5 sessões, previsão de ao menos duas semanas em cartaz).
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br