Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Walter Hugo Khouri

Walter Hugo Khouri

O cinema brasileiro fica de fora dos lançamentos

Assim como a chamada lei da Obrigatoriedade foi o grande cavalo-de-batalha da indústria cinematográfica brasileira a partir do final dos anos 60 - e especialmente na década de 70 - a questão repete-se com a reserva de mercado para os filmes brasileiros junto ao segmento do vídeo. A questão é ampla, complexa e polêmica mas deve ser discutida! Os realizadores brasileiros conseguiram, após muita luta, chegar até a 140 dias/ano para que os filmes produzidos em nosso país fossem exibidos no circuito comercial.

Esperando Rouanet, cineastas no astral otimista de Gramado

Gramado, A chuva e o frio - menos intensos do que se poderia esperar neste inverno - não prejudicam o bom astral que marca o mais prestigiado dos festivais do cinema brasileiro. Apesar do público reduzido na abertura, segunda-feira à noite, quando "Os Desertos Dias", de Fernando Severo, foi o primeiro curta projetado na tela do cine Embaixador, esta 19ª edição do festival que coincide com o sancionamento, amanhã, quinta-feira, em Brasília, da lei que com o nome do atual Secretário Nacional da Cultura, faz renascer as esperanças dos produtores culturais do Brasil.

Merecida homenagem para os 41 anos de cinema de Khouri

Gramado Hoje a noite, no cine Embaixador, antes da exibição dos últimos três curtas ("Bastidores", de Carla Camurati; "Viver a Vida", de Tata Amaral e "A Verdade", de Nelson Nadotti) e do longa "Sampaku - O Olho da ambição" de José Joffily, que disputam a premiação, será prestada uma merecida homenagem: a entrega do Troféu Oscarito, instituído pela Fundação Banco do Brasil, para o cineasta Walter Hugo Khouri (no ano passado, o homenageado foi Grande Otelo).

No campo de batalha

Julia Lemmertz filha da saudosa Lilian Lemmertz (atriz favorita de Walter Hugo Khouri), aos 27 anos, segue a carreira da mãe: pode ser vista em "Lua de Cristal" (Plaza/Lido I), ao lado de Xuxa, e também estará no palco do Guaíra, a partir do dia 28, na comédia "Ela Odeia Mel", ao lado de Edson Celulari, Lena Brito, Cláudio Abreu e Nelson Baskerville. Julia tem feito muitas telenovelas ("Os Adolescentes", "Eu Prometo", "Tenda dos Milagres", "Mania de Querer") e recentemente atuou numa cult-play, ao lado de Fernandinha Torres: "Orlando". xxx

De olho na câmara

Adnor Pitanga, 44 anos, alagoano, nomeado para a presidência da Embrafilme - substituindo ao mineiro Moacyr de Oliveira, já fez um filme sobre Curitiba. Em 1972, na primeira administração Jaime Lerner, Pitanga aqui rodou um curta de 12 minutos - o primeiro filme, aliás, sobre as mudanças que começavam a serem feitas no cenário urbano. Com um detalhe: foi uma produção independente, que nada cobrou do município - a não ser as despesas de infra-estrutura (transporte, hospedagem, etc.).

No dia do teatro, o vídeo em homenagem ao grande Zé

No mínimo, a emoção. Quando as imagens de José Maria Santos forem projetadas no telão do Museu de Imagem e do Som, no auditório Brasílio Itiberê, no próximo dia 27, com a primeira exibição pública de "Mal", todos que conheceram e aprenderam a admirar José Maria Santos sentirão profundamente a sua ausência. Num vídeo de 9'45" - no qual aparece cerca de cinco minutos - ficou perpetuado o seu último trabalho, feito exatamente três semanas antes de ser internado no Instituto de Medicina e Cirurgia do Paraná.

Os Premiados do VI FestRio/Fortaleza

CINEMA MELHOR FILME (Tucano de Ouro) - "Territórios Ocupados" (Sadot Ierukim), Israel, de Isaac Zepel Yeshurun. MELHOR DIRETOR (Tucano de Prata - Troféu Glauber Rocha) - Peter Greenowey, pelo filme "O Cozinheiro, o Ladrão, sua Mulher e seu Amante" (The Cook, The Thief, His Wife and Her Lover), Holanda. MELHOR ATOR Samuel Fuller, EUA, no filme "Sons/Em Busca do Amor Perdido", de Alexandre Rockwell. MELHOR ATRIZ - Helen Mirrer, do filme "The Cook, The Thief...", de Peter Greenoway.

Quem bom que o documentário de Lúcia esteja em exibição

"Que bom te ver viva", em nossa opinião o mais importante, oportuno (e não oportunista) e sincero filme brasileiro - disparado o melhor de 1989 e um dos 10 mais importantes da década - chegou ontem à tela do cine Ritz (5 sessões, previsão de ao menos duas semanas em cartaz).

O (excelente) cinema brasileiro na tela do Groff

Comemorando os 90 anos de cinema nacional, o Cine Groff está exibindo uma série de importantes filmes realizados por cineastas da envergadura de Humberto Mauro, Márcio Peixoto, Luís Sérgio Person, Joaquim Pedro de Andrade, Rogério Sganzerla, Júlio Bressane, Leon Hirzman, Tizuka Iamasaki, Sílvio Tendler, Sylvio Back... a lista é grande. Siga a programação:
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br