Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Maria Bethânia

Maria Bethânia

Cronologia

Marcus Vinícius Cruz de Mello Moraes. 1913 - Nasce, em 19 de outubro, na Rua Lopes Quintas, Gávea - Rio de Janeiro. Filho de Clodoaldo Pereira da Silva Moraes e Lydia Cruz de Moraes. São seus avós paternos Antero Pereira da Silva Moraes, e maternos Antônio Burlamaqui dos Santos Cruz e Celestina dos Santos (Cestinha). 1916 - A família muda-se para a casa dos avós paternos, na Rua Voluntários da Pátria, em Botafogo, onde nasce sua irmã Laetitta. 1917 - Vinícius e Lygia, sua irmã mais velha, começam a freqüentar a escola primária Afrânio Peixoto.

MPB, 15 anos em que o marketing é quem manda

Em 1973, quando CLAUDIO MANOEL DA COSTA começava no jornalismo, a era dos festivais de Música Popular já tinha praticamente acabado a forma de grande impacto. Um ano antes, em setembro de 1972, a Rede Globo promoveu o VII FIC - o último da série - que premiou "Fio Maravilha" (Jorge Ben), revelando a ex-empregada doméstica Maria Alcina como uma intérprete original e destacando também "Diálogo" (Baden Powell/Paulo Cesar Pinheiro), defendida no Maracanãzinho por Tobias e Claudia Regina - dois entre tantos cantores lançados em festivais que não deram certo.

No campo de batalha

Verinha Walflor caminha para se tornar uma das grandes produtoras de espetáculos do Sul. Competente, honesta e organizadíssima, a grife de seu nome passa a identificar espetáculos que chegam a públicos específicos e a fazem ter convites para organizar temporadas nacionais de grandes nomes do teatro e da música.

No campo de batalha

Enquanto os livros espiritualistas da atriz Shirley MacLaine escalam cada vez mais as relações de best-seller no Brasil - fator preponderante para convencer a atriz de "Se o meu apartamento falasse", aceitar o convite para visitar o Brasil este ano (com uma natural vinda a Curitiba, para conhecer a sede dos Rosa-Cruzes), outras editoras também aproveitam a área espiritualista.

Videonews

Ainda é pequena a oferta de musicais. Raramente as distribuidoras se dispõe a editar um tape com jazz ou clássico, quando muito apostando no público jovem. Por exemplo, a Network coloca agora na praça dois concertos pop, gravados ao vivo: "Iron Maiden, Rainbow" direção de David Millier, com os grupos de heavy metal num show ocorrido em Londres já há seis anos.

"Personalidade", a receita para as melhores reedições

Na fonografia aplica-se a lei de Lavoisier: nada se perde, tudo se transforma. Assim, cada faixa gravada por um artista que dê certo passa a ser propriedade da fábrica e tem "n" reaproveitamentos conforme as regras do marketing. Se, em vida, um artista ainda pode tentar vetar o aproveitamento de gravações que não o agradem, após a morte ou a saída do artista da empresa - a fábrica faz o que quer. A Polygram, por exemplo, lançou um elepê com sessões musicais que Elis Regina havia vetado - e o disco se tornou um sucesso.

Jordan não toca aqui mas Baden vem dia 17

Stanley Jordan, 27 anos, a maior revelação da guitarra no jazz, não se apresentará no Guaíra. Há 60 dias a data de 9 de março estava reservada para seu concerto mas afinal os promotores de sua temporada no Brasil decidiram passar voando sobre Curitiba e manter apenas o concerto de Porto Alegre. Razão: os muitos fracassos de bilheteria de bons espetáculos internacionais que tem feito empresários amargarem elevados prejuízos.

Gal, diabolicamente bela e afinadíssima

Dos discos das superstars que, normalmente, no final de cada ano, catapultuam [catapultam] às mais generosas vendas, o último a chegar as lojas foi o de Gal Costa ("Lua de Mel como o diabo gosta", Barclay/RCA). Vendeu bem mas a divulgação nos Estados foi atrasada - o que justifica que só hoje estejamos fazendo o seu registro.

Bivar faz suas listagens com ironia e muito humor

Irreverente e criativo, Antônio Bivar, jornalista e dramaturgo, dedicou 17 páginas do número 10 da revista "A-Z" (dezembro/87, Cz$ 100,00) a um delicioso "Hit-Parade 87" no qual inovou em termos de listagem das 10 melhores (ou piores), com indicações das mais interessantes. Para começo de conversa, apontou "as melhores pin-ups", entre as quais mulheres fascinantes como Luma de Oliveira, Leila Richers, Xuxa, Malu Mader, Lídia Bronde e Maitê Proença.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br