Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Roberto Requião

Roberto Requião

A arte de chefiar (em boa paz) um gabinete

O dia em que alguém tiver a iluminada idéia de escrever um bem humorado livro sobre a burocracia oficial, a figura do chefe de gabinete dos donos do poder poderá merecer um dos melhores capítulos. Afinal, em qualquer órgão de administração pública, esta função é fundamental para o êxito do titular do cargo - pois desde os menores problemas administrativos até as mais delicadas questões políticas exigem uma pessoa com jogo de cintura para aparar arestas, acalmar ânimos, entender explosões do "Chefe" e contornar solicitações das mais absurdas.

Prepotência e assalto à mão armada no Paiol

Um documentário destinado ao banco de dados da Associação de Pesquisadores da Música Popular Brasileira sobre o compositor-intérprete Luiz Gonzaga Júnior - com autorização formal do autor - foi impossibilitado de ser realizado na noite de sábado, 20, devido a intolerância e grosseria da diretora de Ação Cultural da Fundação Cultural de Curitiba, assistente social Celise Niero.

A nostalgia colorida dos tempos de Juarez

Paisagens tipicamente curitibanas, com pinheiros recriados de uma maneira muito pessoal, estão nos quadros que compõe a mais recente individual de Juarez Machado - apropriadamente chamada de "Parfum: Memoire", inaugurada no último dia 12, no Gaymu Inter Art Galerie / Art Contemporain Latin Américani (8, Passage, Thiére 75011, Paris), que estará aberta até o dia 11 de maio.

A grande missão de Luiz Gonzaga Júnior

Levado por um de seus melhores amigos no Paraná, o radialista, jornalista e compositor Cláudio Ribeiro, o compositor Luiz Gonzaga Júnior teve um encontro na manhã de ontem com o governador Roberto Requião.

No campo de batalha

Uma das primeiras pessoas convocadas para integrar a equipe de comunicação, como mestre de cerimonias em eventos populares, no Palácio Iguaçu, foi o radialista Cláudio Ribeiro. Durante a campanha, o bom Cláudio passou o tempo todo viajando com o governador Roberto Requião, que pode sentir sua dedicação. Cláudio, compositor com boa obra, foi quem implantou o setor de Música Popular da Secretaria da Cultura, que agora finalmente, deve voltar a funcionar com as substituições das Coordenadorias daquela pasta. xxx

Filme catástrofe na cultura curitibana

No explosivo ano de 1968, quando Paris estava em chamas pelos protestos populares, a injusta demissão do homem que havia salvado o patrimônio cinematográfico da Europa, o conservador da "Cinematheque Française", Henri Langlois (Esmirna, Turquia, 1914 - Paris, 1977) colocou mais lenha na fogueira.

O muito que a Biblioteca soube fazer pela Cultura

A bibliotecária Sônia Maria Breda deixa a direção da Biblioteca Pública do Paraná - que ocupou por 4 anos - com um expressivo saldo de realizações, merecendo respeito, admiração e cumprimentos pelo bonito trabalho que ali soube desenvolver.

Parada obrigatória para pensar

"Começaria tudo outra vez Se preciso fosse, meu amor A chama em meu peito ainda queima, Saiba, nada foi em vão!" (1975) Parada Número Um - Sábado, 20 de abril de 1991, 12 horas. Em meu escritório, ao qual afetivamente chamo de "Estúdio Vinícius de Moraes", na Rua , 24 de Maio, trabalho em alguns textos, quando sou surpreendido com a chegada de um dos melhores amigos, o incansável animador cultural, radialista e compositor Cláudio Ribeiro. Cumprimentando-me, vai dizendo: - "Trouxe uma visita de surpresa. Que você vai gostar...".

Juarez, o anfitrião de Requião em Paris

O próspero marchand-de-tablaux e arquiteto Waldir Assis telefonou para o seu amigo Juarez Machado, em Paris, na semana passada e surpreendeu-se com uma voz diferente, atendendo ao telefone: - "Monsieur Juarez Machado não está. Quem fala é o mordomo".

Viaro deixa Teatro Guaíra por excesso de burocracia

Enquanto pessoas incompetentes e despreparadas agarram-se ao poder na área cultural do município, o governo Roberto Requião registra sua primeira perda: sexta-feira, às 16h45, o advogado Constantino Baptista Viaro, 51 anos, entregou nas mãos da secretária Gilda Poli, da Cultura, a sua carta com pedido de demissão, irrevogável, da Superintendência da Fundação Teatro Guaíra.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br