Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Miles Davis

Miles Davis

Grammy, a festança dos desconhecidos

A transmissão, ao vivo, da 29º festa de entrega dos Grammys (madrugada de ontem, diretamente do Shrine Auditorium, Los Angeles), visto pela primeira vez, integralmente, na televisão brasileira, valeu por várias razões. Em primeiro lugar por dar uma atualizada geral em termos da música que se consome hoje nos Estados Unidos, com inúmeros cantores e compositores que, a não ser para uma minoria (jovem) yuppie, bem informada (via publicações especializadas e discos importados), que ainda são desconhecidos no Brasil.

Miles Davis, com a força de seus melhores momentos

"Na escola de música a gente aprende apenas como aprender. Como saber interpretar a música dos outros. Isso não basta. É quando se sai do conservatório que tudo começa. É então que cada um deve aprender seu jeito de aprender". (Miles Davis) Há um Olimpo musical no qual vivem artistas que têm uma mágica de constante juventude criativa. Sem apelarem para modismos - mas sabendo estar atentos para o trem que transporta as sensibilidades dos homens de todo o mundo - sabem acompanhar o passo da História e manterem-se com uma dourada adolescência artística.

Fagner, a trajetória de um trabalhador musical

A propósito do novo álbum de Miles Davis, falamos de artistas que sempre buscam uma (re)atualização e não se satisfazem com os louros conquistados. Uma inquietação que nem sempre é devidamente absorvida, pois embora o público, especialmente o jovem, aprecie as inovações, nem sempre as entende devidamente.

O melhor jazz de Bobby e Watanabe

A aproximação do Free Jazz Festival, em sua segunda edição, no eixo Rio-São Paulo, e a vinda so Brasil de superstars como Dizzy Gillespie, B. B. King e Miles Davis (setembro próximo), que inclui Curitiba em seus roteiros - sem falar na aguardada tourneé de Airo Moreira e Flora Purim (26 de agosto, no Guaíra), faz com que, fonograficamente, também cresçam os lançamentos.

Davis não virá, mas hoje é dia de Baden

O sonho acabou! Os fãs de Miles Davis - como o jornalista Manoel Carlos Karam, um dos grandes conhecedores de sua obra - terão mesmo que viajar ao Rio de Janeiro (Canecão, até quinta-feira) ou São Paulo (Anhembi, sábado e domingo), para, pagando entre Cz$300,00 a Cz$ 500,00, assistirem a um dos mais lendários nomes do jazz moderno.

Jazz vive nos palcos do Free Festival

Pela quinta vez nos últimos 8 anos, um grande evento jazzístico traz ao Brasil grandes nomes do jazz. Em sua segunda edição, o Free Jazz Festival, dividindo-se entre São Paulo (Anhembi, 27 a 31 de agosto) e Rio de Janeiro (Hotel Nacional, 2 a 7 de setembro) apresenta grandes nomes do jazz - desde o veterano Ray Charles, 54 anos - até estrelas ascendentes - como Wynton Marsalis, Stanley Jordan e David Sanborn.

Jazz com amor através dos melhores talentos

I Love Jazz. O título não poderia ser mais feliz. São nove esplêndidos álbuns que chegam ao Brasil por apenas Cz$ 55,00 cada - quando o importado custa hoje quase Cz$ 300,00. E nesta coleção, uma síntese do que há de melhor, com uma seleção primorosa das interpretações de nomes como Louis Armstrong, do recém falecido Benny Goodman, Thelonious Monk - de monstros sagrados como Sarah Vaughan ou do pouco divulgado entre nós - mas veteraníssimo e admirável - Cab Calloway.

Davis não virá, mas hoje é dia de Baden

O sonho acabou! Os fãs de Miles Davis - como o jornalista Manoel Carlos Karan, um dos grandes conhecedores de sua obra - terão mesmo que viajar ao Rio de Janeiro (Canecão, até quinta-feira) ou São Paulo (Anhembi, sábado e domingo), para, pagando entre Cz$ 300,00 a Cz$ 500,00, assistirem a um dos mais lendários nomes do jazz moderno.

No campo de batalha

Difícil entender os critérios do bom e simpático Francisco Alves dos Santos, o estimado "frei Chico", na programação das salas da Fundação. Na semana passada interrompeu a carreira do inédito "Lola", de Werner Fassbinder - quando o filme ainda poderia permanecer mais uma semana com bom público no Cine Luz. Agora, inesperadamente, decidiu retirar de exibição "Metrópolis", de Fritz Lang, que pelo seu "rejuvenescimento" começava a atrair um grande público jovem. No domingo, as duas sessões da noite estiveram lotadas. xxx
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br