Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Ney Braga

Ney Braga

No campo de batalha

O prefeito Jaime Lerner não perde tempo: aproveitou a passagem de Francis Hime por Curitiba para convidá-lo para fazer uma peça especial comemorativa a inauguração do projeto da Pedreira da Cidade. Hime, excelente compositor e que fez uma peça sobre músicas carnavalescas para a Sinfônica de Campinas, gostou da idéia. xxx

"Amarcord" de Chico em sua máquina do tempo

"Amarcord" vive dentro de muitos. Poderia-se até dizer, de todos - se houvesse em cada um, ao menos um instante de emoção, ternura e sobretudo, aquela magia de projetar na máquina do tempo da memória os dias verdes da infância e adolescência.

A volta do TCP para salvar nosso teatro

Constantino Viaro, superintendente da Fundação Teatro Guaíra, convenceu finalmente seu amigo René Dotti de que em 1989 deve ser o ano para valorizar o teatro no Paraná. Nestes dois primeiros anos, Viaro teve que colocar a casa em ordem - que assumiu no vermelho e em precaríssimas condições. Hoje, com saldo em banco, quadro de funcionários enxugado, importantes obras físicas em fase de conclusão - e, principalmente com maior liberdade de programação, Viaro parte para projetos maiores.

Enxugando diretorias o Guaíra será dinamizado

Parece que o bom senso vai prevalecer: o governador Álvaro Dias já deu sinais de que vê com simpatia a extinção da diretoria de Arte e Programação da Fundação Teatro Guaíra. Dependendo agora de estudos das Secretarias de Cultura e Administração, o cargo - vago desde que a professora Lúcia Gluck Camargo assumiu a Secretaria Municipal de Cultura - deverá ser extinto. Com a economia feita, poderão ser criados cargos de assessoria, flexíveis e diretamente subordinados à superintendência. ***

Jacob do Bandolim, 20 anos depois, o grande esquecido

Os vinte anos da morte de Jacob do Bandolim acabaram passando (quase) totalmente esquecidos em Curitiba - e, reconheça-se, também no resto do Brasil. Afinal, Hermínio Bello de Carvalho deixou a direção da divisão de música popular da Funarte e uma efeméride como esta, não deixaria de merecer múltiplas comemorações - como aconteceu há dez anos passados.

Londrina, anos 30: black-tie entre o pó e a lama

Em várias seqüências de "Incontrolável Paixão" (breve lançamento nacional; em Curitiba previsto para ser exibido no Plaza), cuja ação é ambientada no interior do Kenya, no início do século, há festas sofisticadas, nas quais apesar do ambiente selvagem que cerca as mansões, os ingleses em black-tie e as suas mulheres em vaporosos trajes parecem estarem vivendo em plena Londres. Parece até fantasia, mas não é!

Um esforço para fazer e as dificuldades da realização

No primeiro ano, como excelente administrador que sempre foi, tratou de colocar a casa em ordem. Afinal, havia assumido a Fundação Teatro Guaíra no vermelho, com graves irregularidades e com problemas que há anos desafiavam sucessivas direções.

Em defesa do cinema de nosso continente

Se a Mostra Latino-Americana de Cinema (2 a 10 de outubro de 1987) não tivesse (como tantos outros eventos ocorridos no Paraná) ficado na primeira e única edição, hoje poderia estar a caminho de se tornar um acontecimento de importância no calendário de festivais cinematográficos. Principalmente porque agora, mais do que nunca, a Embrafilme / Concine estão preocupados em aproximar as cinematografias do continente, como ficou definido durante a primeira reunião preparatória do Foro de Integração Cinematográfica Latino-Americana, realizado paralelamente ao Festival de Gramado.

Hermínio e o Paraná

Há 24 anos, quando "Rosa de Ouro" foi escolhido como a melhor manifestação em favor da música popular brasileira na única edição que aqui aconteceu da promoção "Pinheiro de Prata", realizada pela Funarte, Hermínio não pode vir receber o troféu. Mas valeu como um reconhecimento local ao seu belíssimo espetáculo (perpetuado em disco, Odeon) no qual ao lado da revalorização do grande Aracy Cortes revelava Clementina de Jesus e cinco criolos de imenso talento - entre eles Paulinho da Viola e Elton Medeiros.

Samuca, professor do Paraná

Quando deixou a chefia da Casa Civil no governo Paulo Pimentel, Samuel Guimarães da Costa recebeu um presente que muito o emocionou. Numa iniciativa do fotógrafo Bob (Roberto Abreu), hoje aposentado, mas que por mais de 30 anos documentou as andanças dos governadores paranaenses, foi feita uma foto do quadro existente no Salão Vermelho do Palácio Iguaçu, no qual é reproduzida a chegada de Zacarias de Goes e Vasconcelos ao Paraná. Numa habilidosa montagem, Bob substituiu o rosto de um dos integrantes da comitiva do primeiro presidente da Província, pelo rosto de Samuca.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br