Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS FestRio

FestRio

"Sammy e Rose", a única estréia

Com a inteligente decisão de Aleixo Zonari em manter, por mais uma semana, em exibição, o excelente "Harry e Sally - Feitos um para o Outro" (Cine Astor) e, mesmo não tendo encontrado uma boa bilheteria, a refilmagem de "O Boca de Ouro", continuar no Cine Plaza, praticamente há apenas um lançamento nesta semana: no Cine Ritz, "Sammie & Rose", produção inglesa, 1977, direção de Stephen Frears ("Minha Querida Lavanderia", "Ligações Perigosas"), que teve seu pré-lançamento, há três anos, no FestRio e que só agora está sendo lançado no circuitão.

Um banquete para os cinéfilos com cinco estréias

Uma das reclamações mais comuns dos curitibanos que acompanham os lançamentos no circuito comercial é antiga: - "Durante semanas não há estréias. Quando chegam filmes importantes, há simultaneidade. Poucos permanecem mais de uma semana em cartaz. E não há tempo para assistir a todos". Forma-se o círculo vicioso: falta tempo (e também dinheiro, com ingressos a Cr$ 120,00) para se assistir, numa mesma semana em cartaz, cinco filmes que merecem verificação. Como, por exemplo, acontece agora.

Triste "Splendor" com salas vazias na tela e no Bristol

Não poderia ser mais paradoxal! Um filme que tem no esvaziamento dos cinemas a sua história deixa o cartaz do Bristol , com uma das menores bilheterias do ano: apenas 424 espectadores em 25 sessões - já que 3 acabaram sendo canceladas por total ausência de espectadores. O mais irônico: outro filme, com a mesma temática, teve mais de 60 mil espectadores em dez semanas de exibição. Por que?

No jogo de imagens, o desafio aos cinéfilos

Estimulado pela repercussão de "Cinema Paradiso" - embora a renda tenha sido fraca nos primeiros dias, agora, com a recomendação boca-a-boca, o público está crescendo no Cinema I - Levi Possato, superintendente da Vitória Cinematográfica, está agilizando junto a Warner a estréia de "Splendor", de Ettore Scolla. Afinal, como já escrevemos várias vezes, estes dois filmes são irmãos siameses: ambos abordam o declínio dos cinemas, tem linguagens fascinantes e apesar do tom nostálgico passam uma belíssima mensagem.

Ótimos filmes em exibição

A programação continua a esquentar com lançamentos para diferentes faixas: os filmes-revelações de Cannes-89 estão chegando - "Sexo, mentiras e videotapes", de Steven Sondenberg, previsto para os próximos dias no Ritz (pré-estréia amanhã, 24 horas), enquanto "Faça a Coisa Certa", de Spike Lee, substituirá "Chuva Negra", de Ridley Scott - que apesar de seus méritos e marketing estreou com público abaixo do esperado: pouco mais de 5 mil espectadores na primeira semana (apesar disto continua no Condor).

Documentário sobre o homem e o aventureiro

Entre as centenas de opções visuais levadas ao VI FestRio, em sua edição Fortaleza (23 de novembro/02 de dezembro), nenhum filme era tão aguardado pelos cinéfilos como o documentário "The man, The Movies, The Maverick - John Huston", que desde sua premiére mundial, ocorrida a 12 de junho deste ano, no Festival de Cinema de Montreal, tem extasiado os hustonianos. Naquela cidade canadense, o jornalista João Luiz Albuquerque, assessor de imprensa do FestRio, assistiu ao documentário e decidiu: o mesmo teria que ter uma projeção no FestRio-89.

"Raoni" voltou com presença de Brando

Marlon Brando, 66 anos, volta em evidência: dentro de algumas semanas a CIC lança "Assassinato sob Custódia" (A Dry White Season), de Euzhan Palcy - um sério drama denunciando (mais uma vez) o appartheid na África do Sul, filme que encerrou o VI FestRio (Fortaleza, 2/12/89). Paralelamente no Auvicom 90, a feira de vídeo e som que se realiza nesta semana no Anhembi, em São Paulo, a Alvorada Vídeo tem como maior atração de seu pacote de lançamentos o documentário "Raoni", que é narrado por Marlon Brando.

O "songo" cubano

Mais um título na coleção "Cuba" que em boa hora a WEA criou para divulgar a música daquele país entre nós "Los Van Van" - nome que é sinônimo de escola de músicos. Na verdade, uma orquestra liderada há 22 anos pelo baixista Juan Formell, tem prestígio internacional, fez a bela trilha do filme "Los Pássaros Tirnadola a 1a Escopeta" (que representou Cuba no FestRio-87, mas que permanece inédito entre nós) e se caracteriza por fazer uma música extremamente dançante. Ouvindo-se Los Van Van, neste primeiro Lp que chega ao Brasil, sente-se, como escreveu Roberto M.

Abismo oceânico é a única estréia na semana de Natal

Nesta penúltima semana do ano, com festas e preparativos para as férias de verão, a temporada cinematográfica é de vacas gordas. Lançamentos especiais, com público alvo nas platéias infanto-juvenis, em condições de qualidade. Mas rendas abaixo do que se esperaria - considerando-se anos anteriores. O que é natural, já que a crise financeira atinge a classe média e "c" - ainda as que mais frequentam os cinemas, já que nas classes "a" e "b" superior, a opção fica por conta do vídeo cassete.

O filme certo do black Lee

"Todo americano negro já se defrontou com o racismo. Pode não ser todo dia. É a mesma coisa que dizer "este cara é azul". Quando você vive lá, na América, você cresce com isso. É claro que agora não há mais os restaurantes ou toaletes separados, para brancos e negros. Nós fizemos o filme para mostrar que, mesmo assim, o racismo continua". (Spike Lee, diretor de "Faça a Coisa Certa").
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br