Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Fundação Cultural de Curitiba

Fundação Cultural de Curitiba

Uma academia de MPB para Curitiba (que Herminio e Joel idealizaram)

Dentro de alguns dias, com muita pompa e, principalmente, marketing promocional, o prefeito Jaime Lerner estará anunciando uma nova unidade cultural a ser implantada em Curitiba: uma espécie de academia de música popular. Para garantir repercussão à iniciativa já foi contratada uma competente jornalista com trânsito nacional e, possivelmente, uma revoada de artistas ligados à MPB estará na cidade.

"Canja de Viola", o bom exemplo de Paquito na cultura popular

Dentro da paquidérmica e onerosa FUCUCU, um exemplo de profissional que discretamente, sem maior apoio, vem realizando um trabalho realmente significativo em termos de cultura comunitária é Paquito (Francisco) Modesto, 45 anos, nascido no Algarve mas curitibano de adoção e paixão há quatro décadas.

Exposição detalha mosteiro de Kiev

A Casa Romário Martins (Largo da Ordem) abre às 19h de hoje a exposição de painéis fotográficos, mostrando o Mosteiro das Ermidas de Kiev. O acervo revela a importância das Ermidas do ponto de vista religioso, arquitetônico e artístico, uma vez que elas concentram praticamente nove séculos da história da Ucrânia. O material pertence ao acervo do casal Jorge e Iara Serathiuk e a exposição é uma promoção conjunta da Fundação Cultural de Curitiba com a Sociedade Ucraniana de Amizade e Relações Culturais com o Exterior e Representação Central Ucraniano-Brasileira.

No campo de batalha

O marchand-de-tablaux Paulo Lajos, 65 anos, 40 de Curitiba, pioneiro na venda de quadros de artistas populares, não se assustou com a crise no Leste europeu e viajou a Budapest, onde nasceu, há algumas semanas. xxx

O documento que se perdeu pelo autoritarismo oficial

"Pense N'Eu" - Gonzagão/Gonzaga/Gonzaguinha", idealizado inicialmente como um espetáculo para teatro - a primeira opção era o auditório Bento Munhoz da Rocha Neto - foi transformado num grande show ao ar livre justamente por representar melhor a filosofia que sempre caracterizou os homenageados: autores-intérpretes que buscavam o contato direto com o povo.

Curitiba presente na Bienal de Quadrinhos

Em 1938, o jornal "Diário da Tarde", de Curitiba, publicava tiras de um personagem chamado Haroldo, o Homem Relâmpago. O autor era o então desconhecido Poty Lazarotto, que por muitos anos desenhou quadrinhos. Um painel com alguns desses desenhos faz parte da exposição de artistas curitibanos, que integra a Mostra da 1ª Bienal Internacional de Quadrinhos, promovida pela Fundação Cultural de Curitiba. A exposição está no Museu Guido Viaro até o próximo domingo, dia 10, juntando ainda trabalhos de mais de duas dezenas de cartunistas e desenhistas de HQs na cidade.

Em uma centena de boletins, um pouco das memórias de Curitiba

Quando, em julho de 1974, então dividindo com o advogado Constantino Viaro e o arquiteto Alfredo Willer a direção da recém implantada Fundação Cultural de Curitiba, tivemos a idéia de criar uma publicação ágil, econômica e que pudesse divulgar diferentes textos ligados a Curitiba, Valêncio Xavier, homem de TV e pesquisador, que havia sido convidado para nos assessorar (*), trouxe uma idéia das mais oportunas: "Várias gerações de curitibanos colecionaram as figuras das Balas Zequinha mas nunca ninguém se preocupou em pesquisar quem criou o personagem, como ele surgiu".

Oficina de Criação Musical vai criar a Banda Ligeira

Músicos ou apenas apreciadores estão convidados a engajar um projeto interessante, abraçado pela Fundação Cultural de Curitiba: a Oficina de Criação Musical Olho da Rua, que acontecerá de 11 a 17 próximos, das 15 às 18 horas, no Centro Cultural Portão (Avenida República Argentina, 3430). As inscrições podem ser feita na secretaria daquele espaço, com informações pelo telefone 223-2733 (r. 257). A Oficina será comandada pelo músico carioca Antônio Saraiva, e será um núcleo de discussão e pesquisa, dentro do objetivo de não produzir aulas, mas sim arte.

Modestos, simples, mas referenciais históricos

A maioria dos "Boletins" da Casa Romário Martins estão esgotados. Os que restam são vendidos exclusivamente na Livraria Dario Velloso e na própria Diretoria do Patrimônio Cultural (Rua 13 de Maio, fone 223-2733) ou nas unidades a ela subordinadas. Entre os 98 números publicados há os mais diferentes assuntos - embora sempre ligados a Curitiba. Pode-se, inclusive, discutir a oportunidade e importância de alguns deles -, e, com sinceridade, a própria Maí Mendonça, reconhece que nem sempre a escolha dos assuntos (e autores) "foi a mais adequada".

Dorival de Ruas ganhou a fama graças ao curta

Quando assumiu a presidência da Fundação Cultural de Curitiba, na administração Maurício Fruet, o advogado Carlos Frederico Marés de Souza procurou formar um bom staff de assessores. Assim, entre outros intelectuais que convidou para auxiliarem em sua administração (que, embora tenha merecido algumas restrições de nossa parte na época, comparada aos desmandos dos dias atuais foi extraordinariamente superior) Marés trouxe um gaúcho que, como ele, havia amargado o exílio político em terras distantes: Tabajara Ruas, agora com 50 anos.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br